Topo

13 famosos que desabafaram sobre depressão

Reprodução/Instagram
Whindersson Nunes falou abertamente sobre depressão em sua conta no Twitter Imagem: Reprodução/Instagram

Do BOL, em São Paulo

2019-04-16T11:31:27

16/04/2019 11h31

Na última sexta-feira (12), o youtuber e humorista Whindersson Nunes surpreendeu muitos de seus seguidores ao falar sobre um quadro de depressão que vem enfrentando há algum tempo. "Apesar de tudo de bom que vem acontecendo comigo, de tudo que já conquistei, eu me sinto há alguns anos triste", escreveu o piauiense. E completou: "Eu sinto angústia todos os dias, todos os dias, algumas risadas, algumas brincadeiras e depois lá estou eu de novo com esse sentimento ruim". Depois do desabafo, Whindersson cancelou sua agenda de shows até agosto.

Relembre a seguir outras 12 celebridades que falaram abertamente sobre a depressão.

  • Lucas Lima/UOL

    Padre Marcelo Rossi

    Em entrevista ao programa Mariana Godoy Entrevista, padre Marcelo Rossi falou sobre o período em que teve depressão, nos anos 2000: "Não sou padre por profissão, sou padre por missão. Deus me chamou. Durante a depressão, ser padre se tornou uma profissão. Não deixei de ir em nenhum compromisso, mas já não fazia com amor". A doença o afetou tão gravemente que o afastou, inclusive, de sua relação com Deus, segundo o padre: "Eu tinha preguiça de rezar o terço. Já ouviu falar do Terço Bizantino? Fazia o Terço Bizantino porque era mais rápido". O primeiro passo para tratar o problema, segundo o sacerdote, foi vencer seu próprio preconceito em relação à doença: "Achava que era frescura. Durante 19 anos da minha vida, e olha, tirei pessoas da depressão levando-as a Jesus, mas eu não acreditava".

  • Reprodução/Instagram @pefabiodemelo

    Padre Fábio de Melo

    Em junho de 2018, o padre Fábio de Melo compartilhou em sua conta no Instagram uma tirinha falando sobre depressão e fez um relato sobre a doença: "Há um ano eu enfrentei crise de pânico e quadro depressivo. Foi o pior momento da minha vida. [...] Aprendi muito com o que vivi. Tristeza não é doença, mas, quando se estende no tempo, pode ser. É preciso estar atento à duração dela em nós. Há muita ignorância no trato com pessoas depressivas. É comum escutar que é frescura, exagero, falta do que fazer. Quando de fato se trata de um quadro depressivo, não, não é. Só quem sofre sabe!".

  • AgNews

    Paula Fernandes

    A cantora sertaneja Paula Fernandes também falou publicamente sobre depressão, no programa "Vai, Fernandinha", apresentado pela atriz Fernanda Souza. A artista disse que sofreu com a doença logo no início da carreira: "Foi um conjunto de coisas: ter assumido responsabilidades muito cedo, ter me tornado arrimo de família... Com 18 anos, vi que faltava vida social". Além de um quadro grave de depressão, ela disse que foi afetada, inclusive, por pensamentos suicidas, o que a ajudou a perceber que algo realmente não estava bem: "Avistei a janela e queria pular. Aí vi que o negócio estava feio. Emagreci 7 quilos, cabelo caiu, foi 'uó'". Segundo ela, sua mãe sugeriu um tratamento psicológico e psiquiátrico, mas seu preconceito a impediu de começá-lo: "Achava coisa de gente doida. Quando aceitei o tratamento e os remédios, comecei a melhorar. Fiquei três anos no processo. Voltei a sonhar e as coisas foram acontecendo", contou a cantora.

  • Bruno Poletti/Folhapress

    Selton Mello

    Em entrevista à revista Veja, em 2009, o ator Selton Mello revelou que havia superado recentemente um quadro de depressão grave. "Vivi um inferno", definiu o ator. Selton disse que a doença se manifestou quando ele interrompeu o uso de remédios para emagrecer, que fazia havia anos. Pesando mais de 100 kg, ele considerou até mesmo abandonar a carreira: "Isso foi ao auge do desconforto. Estou redescobrindo o prazer de atuar", confessou. Segundo Mello, duas atividades o ajudaram a se recuperar: fazer terapia e encontrar prazer em atividades físicas.

  • Reprodução/TV Globo

    Jorge Pontual

    Outro a revelar quadro de depressão foi o jornalista Jorge Pontual. Em participação no programa Bem Estar, da Rede Globo, em janeiro de 2018, Pontual disse que fazia 40 anos que tratava depressão, mas que nunca se sentia plenamente satisfeito com os remédios que tomava, até que fez um teste genético que identificou em seu DNA um gene que o predispunha à depressão e que exigia um medicamento diferente para o tratamento da doença. "Agora minha vida mudou, meu humor ficou estável, sem aqueles altos e baixos, em geral mais baixos do que altos, de antes. A depressão ficou sob controle", contou ele no programa.

  • Estevam Avellar/Globo

    Heloísa Périssé

    A atriz e humorista Heloísa Périssé mostrou, em entrevista no Conversa com Bial, exibida em agosto de 2018, que é possível lidar com a depressão de maneira bem-humorada. Ao ser perguntada por Bial se estava medicada, a humorista respondeu, brincando: "Eu não estou medicada... Eu sou medicada! [...] Eu acho que é impossível não ser e encorajo todo mundo que às vezes passa por um determinado tipo de situação e fica envergonhado. Nós somos química. Existe uma química dentro do nosso corpo que se desequilibra. É normal. Eu não tenho problema nenhum com isso".

  • Raquel Cunha/TV Globo

    Adriana Esteves

    Em entrevista à revista Marie Claire, a atriz Adriana Esteves falou sobre o quadro de depressão que enfrentou aos 23 anos de idade: "Eu havia me separado, comecei a fazer uma novela atrás da outra, com personagens grandes, ganhei exposição e tinha pouca maturidade. Fiquei perdida, não segurei a onda. E aí veio a depressão. Passei pela fase de não conseguir comer, de não sair da cama, de achar um sofrimento tomar banho, de engordar muito com o antidepressivo". Adriana contou que não considerou suicídio, mas que temeu a morte. "A dor da depressão foi tão grande que parecia que eu ia morrer e tive a chance de não morrer. A sensação que ficou é de ter ressuscitado", revelou a atriz.

  • Renato Moretti/Divulgação

    Nubia Oliiver

    A modelo Nubia Oliiver, em entrevista à revista Quem, falou sobre a doença e se mostrou desesperançosa em relação a uma possível cura: "Não me sinto curada e duvido que exista cura para a depressão. Apesar de ter meus médicos capacitados nessa área. Basta um 'gatilho' para voltar tudo de novo e, algumas vezes, pior. Mas descobri também que sou mais forte que isso! Que tenho uma fé inabalável e acredito que consigo ir além e fazer muito mais do que já fiz. Vou continuar lutando, diariamente. Mas hoje sei que posso vencer, de novo e de novo, e quantas vezes for preciso".

  • Ricardo Borges/ UOL

    Fani Pacheco

    Nem toda depressão é causada exclusivamente por frustrações, decepções, situações e pensamentos negativos e/ou dolorosos. Em março de 2019, a ex-BBB e modelo Fani Pacheco falou sobre seu quadro de depressão endógena, problema que é causado por fatores de origem biológica/hereditária. "Cuido desde os 14 anos e, depois, foi recorrente aos 18, 20 e 22 anos. No meu caso, é genético, tenho de tratar para o resto da vida e é um desequilíbrio bioquímico do meu cérebro. A depressão pode aparecer por um acúmulo de frustrações ou alguma situação que somatiza os problemas e tem um desnível bioquímico no cérebro em que a medicação ajuda a nivelar. A psicoterapia é uma forma de resolver esta situação que ficou pendente, esses comportamentos emocionais que somatizaram, e a depressão não volta a acontecer. Precisa solucionar a causa. O importante é tratar da saúde mental como trata o resto do corpo", explicou ela.

  • AFP / Robyn BECK

    Adele

    Entre as celebridades internacionais, a cantora Adele foi uma das que falaram abertamente sobre depressão. Em entrevista à revista Vanity Fair, ela disse que fez terapia desde muito jovem para tratar o problema e que teve depressão pós-parto. "Eu tenho um lado escuro. Eu sou muito propensa à depressão. Eu posso entrar e sair dela muito facilmente. Isso começou quando meu avô morreu, quando eu tinha cerca de 10 anos. Ao mesmo tempo que eu nunca tive pensamentos suicidas, eu já estive muito em terapia", explicou. Sobre a depressão pós-parto, a cantora falou: "Foi muito ruim e me assustou. O meu conhecimento sobre pós-parto é que você não quer estar com a sua criança. Você fica preocupada em machucar o seu filho, se está fazendo tudo certo. Mas eu era obcecada pelo meu filho! Eu me sentia muito incapaz, sentia como se tivesse tomado a pior decisão da minha vida. Então entendi que as coisas podem vir de muitas formas diferentes".

  • Reprodução/YouTube

    Jim Carrey

    Em 2004, Jim Carrey, considerado um dos maiores humoristas de sua geração, revelou que há anos sofria com a depressão. "Há picos e vales, mas eles são sempre cavados e suavizados para que você sinta um permanente desespero e fique sem respostas, mesmo que viva bem", explicou o ator. Ele explicou como enfrentava a doença sem auxílio médico e psicológico, mas aconselhou que todo mundo que passe pelo problema procure ajuda: "Você consegue sorrir quando está no trabalho, mas continua em um baixo nível de aflição".

  • AFP

    Demi Lovato

    A cantora Demi Lovato também falou sobre seu quadro de depressão. A norte-americana disse que seus primeiros pensamentos suicidas surgiram ainda na infância, aos sete anos. Em entrevista ao programa Dr. Phill, exibida em março de 2018, ela disse que "era fascinada pela morte". Os problemas psicológicos, segundo ela, foram gatilhos para muitas outras coisas, como distúrbios alimentares e alcoolismo. "Eu sinto que me livrei dos meus problemas com alcoolismo e que não preciso pensar mais nisso. Mas o meu esforço com os transtornos alimentares é algo com o qual eu ainda lido", confessou. Na adolescência, ela disse que sofreu bullying e que isso foi um gatilho para automutilação: "Voltei a me cortar e teve um tempo em que minha mãe tinha medo de me acordar de manhã porque ela não sabia se me encontraria viva ou morta quando abrisse a porta do meu quarto, porque toda vez que eu me cortava, eu ia mais fundo", revelou Lovato. Por fim, a cantora disse que usa sua influência sobre o público adolescente para falar sobre aceitação e saúde mental.

Mais Listas