Topo
Esporte

Brasileiro do UFC tem motivação extra contra rival: 'Me tirou do meu filho'

Johnny Walker, lutador brasileiro, durante pesagem para o UFC Arábia Saudita - Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images
Johnny Walker, lutador brasileiro, durante pesagem para o UFC Arábia Saudita Imagem: Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images
do UOL

Do UOL, em São Paulo

22/06/2024 04h00

Johnny Walker retorna ao octógono neste sábado (22) para encarar o suíço Volkan Oezdemir, rival escolhido a dedo por ele, no UFC Arábia Saudita. O brasileiro busca uma "redenção no deserto" e contou ao UOL que tem uma motivação a mais para bater o oponente.

Nascimento do filho

Johnny Walker mal conseguiu segurar o recém-nascido no colo e já teve que voltar o foco total à preparação. Caio Alan Walker nasceu há duas semanas, pouco antes do Dia dos Pais, e o pai logo depois teve que viajar ao Oriente Médio.

Ele usa a distância "forçada" como combustível extra para a luta contra o adversário: "Me tirou de perto do meu filho. Porrada vai comer". Ele é o sétimo colocado no ranking do peso-médio e vai enfrentar o número nove da lista buscando ficar perto novamente da disputa pelo cinturão.

Meu neném nasceu, estou extra motivado. Caio Alan Walker nasceu tem umas semanas, vi o neném e já vim para cá. Estou brabo, o cara me tirou do meu conforto para vir trabalhar. Claro que tem que trabalhar, mas vou bater com mais força. Me tirou de perto do meu filho, nem senti ainda o gostinho de ser pai e tive que sair de perto. Porrada vai comer, estou brabo com ele. Johnny Walker, ao UOL

Volta ao 'deserto' contra rival

Johnny Walker retorna ao Oriente Médio depois da luta em que levou uma joelhada ilegal na cara, em outubro de 2023. Ele sofreu o golpe no primeiro confronto contra Magomed Ankalaev, disputado em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, e que terminou como no contest.

Na época, ele respondeu que estava "no deserto" ao juiz, que verificava se ele tinha condições de continuar a luta. Sem querer errar ao ser questionado o local da luta e confuso entre Dubai e Abu Dhabi, ele tentou contornar, mas não conseguiu.

Agora, retorna à região em busca de uma "redenção". Ele vem de uma derrota após a "revanche" contra Ankalaev e mira lutar pelo cinturão em breve, mas não talvez no próximo combate, o qual ele já projeta ser contra Jan Blachowicz.

Com certeza, meter uma vitoria boa vai me colocar bem próximo de novo da disputa [do cinturão]. Mas provavelmente tenho que fazer uma outra luta, já estou com alguns nomes em mente no top-3, top-5. Vou lá, bato nele, depois vejo o que faço, mas já estou pensando nos próximos passos. Provavelmente o Blachowitz.

Escolher o próximo rival não seria algo novo para Johnny Walker. O brasileiro apontou Volkan Oezdemir, adversário de hoje, como um adversário que gostaria de enfrentar e foi atendido pelo UFC, que marcou o combate.

O brasileiro chega confiante para a luta. Ele disse que já "corrigiu o erro" cometido na luta passada e que terminou em derrota.

Experiência, sei o que aconteceu, onde foi o erro. Voltei pra academia, corrigi o erro, voltei melhor, consequência do meu trabalho, comprometimento com carreira, seriedade. Não tem mistério, não tem mais duvida, agora vai.

Esporte