Topo
Esporte

L7 e bodybuilders: Italo se reinventa no surfe após ouro olímpico e mundial

do UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro

21/06/2024 04h00

O que você faria após ser campeão olímpico e mundial? Disposto a alcançar novas metas, o surfista Italo Ferreira tem procurado se reinventar saindo de sua "bolha", absorvendo ideias e buscando inspirações no rap e até mesmo no universo bodybuilder.

Fisiculturistas ajudaram em título no Taiti

Italo agitou as redes com seu "shape" atual, fruto dos treinos em uma academia de seu patrocinador voltada para bodybuilders. Apesar dos treinos terem focos diferentes, o surfista tem absorvido a disciplina dos fisiculturistas com o corpo e a alimentação e enxerga que os resultados já aconteceram quando venceu a etapa de Teahupo'o, no Taiti, no fim de maio.

"É uma das partes que mais priorizo. Estou me puxando ao máximo, independentemente se estou competindo ou não, e isso tem um risco. Preciso estar sempre bem fisicamente. Estou treinando com uma galera que é diferente, do bodybuilding, que tem a mentalidade de performance. É totalmente fora do meu mundo, mas no final das contas, seguimos a mesma linha, que é se preparar para ser o melhor, cada um no seu mundo. Me adaptei muito porque a galera só pensa em treino, em performance. Antes de Teahupo'o, fiquei uns dez dias treinando direto com os caras e o simples ajuste que fiz na minha rotina, já vi a diferença e fiz minha melhor performance do ano", declarou Italo, complementando:

Não é para botar shape [risos], é para estar bem mentalmente mesmo e, na hora que vem a junção [da onda], não tenho medo em momento algum Italo Ferreira

L7 lhe despertou a carreira empresarial

Da grande amizade com o rapper Lennon, o L7, surgiu sua veia empresarial. Italo fundou a IF15 Sports, onde agencia novos talentos do surfe brasileiro, como os adolescentes Carol Bastides e Arthur Vilar. L7, por sua vez, tem a gravadora HHR (Hip Hop Rarer), em que empresaria promessas do rap.

Italo fez uma publicidade subliminar das empresas na entrevista coletiva da WSL nesta quinta (20). Vestido com uma camisa da seleção brasileira de futebol, o potiguar tinha escrito, nas costas, as siglas das duas agências: "IF15 e HHR".

O que está atrás da minha camisa é a IF15, que é a minha empresa, e a HHR, que é do Lennon. Nos encontramos na vida e viramos irmãos. A gente acaba se ajudando um ao outro. Eu tenho ele como inspiração, aprendo muito diariamente com ele. Estou ficando na casa dele aqui no Rio enquanto não vou para Saquarema. E está sendo incrível ter essa energia. Toda vez que a gente se reúne, a energia fica tão boa que as coisas acontecem um pouco mais naturais e leves, porque você acaba sendo um pouco mais feliz. Quando estou com esses amigos que são puros e que realmente querem te ver no topo, as coisas mudam Italo Ferreira

Italo explicou sua estratégia empresarial e acredita que ocorrerá um hiato após a chamada Brazilian Storm. O campeão mundial e olímpico avalia que a próxima geração brasileira de sucesso no surfe será oriunda das categorias que ele está investindo, entre o sub-12 e o sub-15 atualmente.

A IF15 patrocina o Arthur Vilar e a Carol Bastides. Estamos visando esses dois atletas como aposta para os próximos anos. O Arthur é um fenômeno. É um moleque que surfa muito e tem um talento fora do normal. Hoje, é uma das maiores promessas. Creio que depois da nossa geração vai ter um gap muito grande e a geração do Arthur é outra que vai poder bater de frente. Então, é um investimento que a gente está fazendo nessas crianças para que eles tenham essa oportunidade, uma luz, um destino a seguir. É o mesmo trabalho que o Lennon faz na HHR também. Ele tem os artistas que ele cuida, que realmente tem contato direto para direcionar, dar uma oportunidade e aí sim, dali a pessoa seguir sua vida Italo Ferreira

Motivação após título mundial e olímpico

Ser campeão olímpico e mundial não é motivo de acomodação para Italo. O amor pelo surfe segue correndo em suas veias e é o combustível em busca de novos objetivos.

"Eu sou o contrário [em relação à acomodação]. Acho que para atletas de alta performance e competidores de verdade isso é o que te move. Buscar melhorar e desafiar a cada ano que passa. Quando você [repórter] falou que eu já ganhei o título do mundo e da Olimpíada, é o auge de um atleta esportivo. E aí você para e você pensa: 'o que posso ganhar agora? Ou eu posso ficar quieto no meu lugar?'. Mas quando você realmente ama o que faz, tenta cada vez mais melhorar. E é isso que eu faço. Tanto na parte física quanto nas minhas performances e falhas", avaliou Italo, que completou.

Isso vem acontecendo durante todos esses anos. Tanto nas vitórias como nesse break que eu tive de quase três anos sem vencer. E agora pude voltar a vencer em Teahupo'o, onde era uma onda que eu tinha em mente que era capaz de vencer, e esse ano realmente isso aconteceu. Então, para mim, é algo muito gratificante poder continuar nesse ritmo, com o mesmo rendimento e batendo de frente com quem tiver ali para competir. É isso que me molda Italo Ferreira

Esporte