Topo
Esporte

Em protesto, Augusto Melo volta a disparar contra a oposição e afirma: "Não vamos vender o Corinthians"

21/06/2024 21h48

A noite desta sexta-feira foi especialmente movimentada no Parque São Jorge. Em meio à crise administrativa e à má fase dentro dos gramados, a principal organização do Corinthians, Gaviões da Fiel, protestou em frente à sede social do clube, na zona leste da Capital paulista.

A certa altura da noite, o presidente Augusto Melo deu as caras depois de muitas cobranças. Ao som de gritos como "Augusto Melo, vai se f**, ou sai pra fora ou o couro vai comer!", o mandatário corintiano decidiu conversar diretamente com os torcedores após uma reunião com os diretores da Gaviões da Fiel.

O presidente adotou uma postura firme, mas não trouxe grandes novidades em seu discurso. Depois da coletiva de imprensa concedida no último dia 10 de junho, ele voltou a a acusar a oposição e os "traidores" que estariam dentro do clube, mas novamente não 'deu nome aos bois', como foi muito cobrado para fazer.

"Tá na hora de parar com essa situação. A gente sempre se uniu para tirar a oposição. Vocês não sabem o que eu estou passando para manter o ingresso barato para vocês. Eu abaixei a p**** da mensalidade disso aqui (clube) para todos nós corintianos frequentarmos, e subiram lá em cima, com a faca no meu pescoço, falando pra aumentar e que eu não poderia colocar o sócio lá dentro. Botamos mais de 4.500 pessoas para frequentar o nosso clube. Isso aqui é do Corinthians, p****. Estamos batendo de frente com um monte de situação para conseguir receita maior para o Corinthians. Primeiro jogador que teve uma proposta mesmo estando na reserva e eu recusei, hoje ele já vale milhões", disse Augusto.

"Tudo isso batem na gente para mudarmos o sistema e nós estamos aqui para arrumar o sistema e melhorar ele. Estou apanhando para c**** por lutar pelo Corinthians e pelo torcedor. Esses caras não me deixam passar, não me deixam trabalhar em paz. Se eles realmente fossem corintianos, se uniam com a gente como nós fizemos. Esses caras querem destruir a gente, não querem deixar a gente arrumar o Corinthians, porque ele querem o poder. E podem ter certeza, se a gente não arrumar isso aqui, eles voltam e vendem o clube. Se é isso que vocês querem, beleza. Felizmente apareceu a gente, que venceu a eleição. Não vamos vender o Corinthians. O Corinthians é nosso, e do nosso corintiano. Nós e vocês estamos trabalhando pelo Corinthians. Esses caras são o contrário. Eu acho que nós não podemos deixar, agora se vocês quiserem que eles voltem e vendam o Corinthians, beleza. Mas nós vamos resistir até o final", completou o dirigente.

Após a fala do presidente corintiano sobre "vender o Corinthians", a Gaviões da Fiel rapidamente se posicionou sobre uma possível transformação do Timão em SAF. O presidente Alexandre Pereira, o Alê, deixou bem clara a posição da organizada de ser contra a SAF.

"Os Gaviões da Fiel são totalmente contra SAF. Time do povo não tem dono, jamais terá dono. Se alguém tá pensando que toda essa bagunça interna vai resultar numa SAF, os gaviões jamais vão deixar isso acontecer. Estamos em várias linhas de protestos, mas a gente acredita que precisamos ir numa linha de protesto de inteligência, ser fiel torcedor para poder direito ao voto, para a gente vir com os dois pés no chão em relação à quitação da arena, conversar com essas chapinhas também para ver qual é o pensamento deles, esses diretores, essa debandada, por que saíram fora? Estão indo embora e não dão uma satisfação para a Fiel Torcida? Os gaviões, os guardiões do Corinthians, estão de olho", afirmou.

Em meio ao caos administrativo que o clube vive, o elenco do Corinthians não tem conseguido se blindar. A equipe está afundada na zona de rebaixamento e figura na 18ª posição do Brasileiro, com apenas sete pontos conquistados em dez partidas, e não sabe o que é vencer há quatro partidas.

Esporte