Topo
Esporte

Termômetro da seleção: quem sobe e quem desce com Dorival após empate

do UOL

Do UOL, em Orlando (EUA)

13/06/2024 11h32

Com titulares em campo, o Brasil ficou no empate em 1 a 1 contra os Estados Unidos na noite da última quarta-feira (12), em Orlando (EUA). Alguns jogadores ganharam moral com o técnico Dorival Jr no duelo, enquanto outros fizeram o caminho inverso.

Quem sobe

Rodrygo

A constância do 'rayo' impressiona na seleção. O camisa 10 já atuou nas mais variadas funções neste novo ciclo e sempre é um dos melhores em campo. Ele soma quatro gols neste ciclo. Mesmo assim, Rodrygo quer dividir o protagonismo da seleção.

Fico feliz pelo reconhecimento, mas quero que só eu seja o melhor, quero que isso vá se distribuindo para que todos estejam no seu melhor nível na seleção. Continuar trabalhando porque temos muita coisa para melhorar ainda. Nosso grupo é muito bom e tem uma margem de evolução muito grande.

Alisson

O goleiro fez sua primeira partida com Dorival Jr diante do México e quando muitos esperavam minutos para Bento contra os Estados Unidos, Alisson foi novamente escolhido e fez boa partida. Se houve discussão sobre o primeiro gol, o goleiro do Liverpool (ING) provou que está em grande forma com duas excelentes defesas na segunda etapa para evitar o que poderia se transformar em uma derrota. Será o titular na Copa América.

Bruno Guimarães

O único lúcido do meio-campo titular, Bruno Guimarães funcionou como válvula de escape da seleção pelo setor direito. Perto de Raphinha e Danilo, ele ajudou na criação das melhores jogadas, encontrou bons passes e se aplicou na marcação. No primeiro gol, ganha de cabeça para retomar a posse para a seleção e inicia a jogada que termina no gol de Rodrygo.

Quem desce

Lucas Paquetá

Depois de entrar mal na partida contra o México, Paquetá repetiu a atuação ruim como titular diante dos Estados Unidos. O meia talvez tenha feito as melhores partidas com a camisa da seleção brasileira nos amistosos contra Inglaterra e Espanha, mas não conseguiu repetir as atuações na preparação para a Copa América.

João Gomes

Uma das novidades da seleção de Dorival, o volante fez sua primeira partida ruim. Errou muitos passes e recebeu um cartão amarelo em lance de força desnecessária. A falta que gerou o gol dos Estados Unidos, em lance dele, é discutível. Foi substituído no intervalo.

E Vini Jr.?

Principal candidato ao prêmio Bola de Ouro da temporada, Vini Jr. fez uma partida ruim, mas mesmo assim Dorival não tirou-o de campo. O camisa 7 perdeu ao menos duas boas chances de gol na primeira etapa e, no fim, desviou errado o lance que poderia ser a vitória brasileira. No entanto, a atuação ruim não fez Vini Jr. 'descer' com Dorival, já que o treinador preferiu tirar Rodrygo, o melhor em campo, ao invés do camisa 7 na última substituição.

Faltavam poucos minutos. Queria aproveitar mais a força do Vini para uma jogada individual. Uma última tentativa em cima de um banco que pode ser decisivo. Martinelli entrou e criou duas ótimas oportunidades.

Esporte