PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Médico de Maradona presta depoimento no Ministério Público

30/11/2020 15h00

SÃO PAULO, 30 NOV (ANSA) - O médico do ex-craque Diego Maradona, Leopoldo Luque, compareceu nesta segunda-feira (30) no Ministério Público (MP) de San Isidro, na Argentina, para prestar seu depoimento sobre a morte do ex-jogador.   


A casa e o consultório de Luque foram alvos de uma operação de busca e apreensão ordenada pelo MP da cidade de San Isidro, que fica na província da capital Buenos Aires. Além disso, o profissional vem sendo investigado por homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar.   


Luque, que chegou na sede do MP acompanhado pelo seu advogado Julio Rivas, disse aos jornalistas presentes que estava "muito calmo e confiante".   


Rivas afirmou que seu cliente responderá todas as perguntas dos quatro promotores e que seu testemunho foi realizado "espontaneamente".   


"Ele era amigo do Maradona, às vezes era médico e o Diego, por causa da amizade, confiava nele. Quem estava perto do Maradona sabe o que aconteceu e qual foi a atividade do Luque", afirmou Rivas.   


O advogado também comentou que Luque não chefiava nenhuma equipe médica e nem participou da decisão de internar Maradona em sua casa na cidade de Tigre, onde o ex-craque faleceu.   


Matías Morla, advogado de Maradona, publicou em suas redes sociais uma mensagem de apoio a Luque.   


"Eu entendo e compartilho o trabalho da promotoria, mas só eu sei, o que Luque fez pela saúde do Diego, como cuidou dele, o acompanhou e como ele o amou. Maradona te amava e, como amigo, não te vou deixar sozinho. Você deixou sangue, suor e lágrimas.   


A verdade sempre triunfa", escreveu Morla.   


Queda de Maradona Rodolfo Baqué, advogado de uma das enfermeiras de Maradona, revelou que o ex-atleta caiu e bateu a cabeça uma semana antes de morrer.   


Em seu depoimento, Baqué afirmou que Maradona bateu o lado direito da cabeça, o oposto do local da operação que precisou passar. Ele ainda citou que ninguém chamou a clínica e disse acreditar que foi uma decisão do próprio ex-atleta. (ANSA).   


Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Notícias