PUBLICIDADE
Topo

Ao menos 120 jornalistas esportivos foram cobrir pandemia em canais abertos

Jornalista esportiva, Livia Laranjeira tem trabalhado na cobertura do coronavírus - Arquivo pessoal
Jornalista esportiva, Livia Laranjeira tem trabalhado na cobertura do coronavírus Imagem: Arquivo pessoal
do UOL

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

13/04/2020 11h39

Mesmo com o calendário do futebol brasileiro suspenso há um mês como consequência do avanço do coronavírus, os jornalistas esportivos não pararam de trabalhar. Contando Globo, Record e Band, são pelo menos 120 profissionais, entre repórteres, editores, produtores e outras funções, emprestados para a cobertura da pandemia.

O levantamento foi realizado pelo UOL Esporte. Globo e Record são os canais que mais usam jornalistas esportivos na cobertura da pandemia. Oficialmente, a emissora carioca confirma mais de oitenta profissionais que estão emprestados para o trabalho sobre o coronavírus. Eles estão espalhados entre cinco emissoras do grupo, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Recife, e na Globo News.

"Hoje são cerca de oitenta, entre repórteres, repórteres cinematográficos, editores e produtores", confirma o canal, em comunicado. A Globo também deixa claro que esse número pode aumentar dependendo da necessidade. Uma prova disso é que previa-se inicialmente que quarenta profissionais seriam cedidos pelo esporte. Ou seja, o número já mais que dobrou.

Entre os profissionais que estão trabalhando no jornalismo da Globo e que são originários do departamento de Esporte, estão André Gallindo, Lívia Laranjeira, Renato Cury, Anselmo Caparica, Eudes Júnior, Ana Helena Goebe e Juliano Lima, entre outros.

Quem também está é Renato Peters, que na semana passada foi atacado por uma mulher que tomou o seu microfone à força para defender o presidente Jair Bolsonaro ao vivo. Mesmo com o incidente, o repórter já voltou as ruas. Ontem (12), ele gravou reportagem que foi ao ar nos jornais matinais da Globo na capital paulista.

Em outras TVs, o número é menor porque ainda existe uma integração grande entre os departamentos de jornalismo e esporte. É o caso de Band, RedeTV! e SBT. No entanto, na primeira, editores que normalmente trabalham para programas esportivos estão ajudando na cobertura do coronavírus.

Na Record, todo o departamento esportivo, que tem cerca de 30 profissionais, foi designado para reforçar o jornalismo da cobertura da pandemia nos programas jornalísticos da emissora paulista. A repórter Janice de Castro, do "Esporte Fantástico", está entre as transferidas.

Na edição de ontem (12) do programa "Domingo Espetacular", a repórter abriu a edição da revista eletrônica da Record com uma matéria sobre as lives de cantores populares, principalmente de sertanejo, nas redes sociais durante a Covid-19. A reportagem durou treze minutos.

Esporte