PUBLICIDADE
Topo

Renato Peters não se abala com ataque ao vivo na Globo: "Deu mais gás"

do UOL

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

10/04/2020 18h08

O ataque de uma mulher, que interrompeu entrada ao vivo do repórter Renato Peters hoje (10), durante o SP1, da Globo, não intimidou o jornalista. Pelo contrário. Emprestado pelo departamento de esporte para a cobertura da pandemia do novo coronavírus, o jornalista afirmou que o incidente lhe deu mais vontade de continuar trabalhando.

Em rápida troca de mensagens com a reportagem do UOL Esporte, Peters disse que prestava serviço para a população no momento do incidente.

"Estávamos lá para prestar um serviço. Mostrar que o hospital de lá está sufocado. Mas, segundo ela [mulher que lhe atacou no link], está tudo bem. Vamos aguardar", afirmou Peters.

A pauta do repórter era sobre a situação do Hospital de Vila Nova Cachoeirinha, que não dava informações sobre o coronavírus e era alvo de reclamações. Durante a passagem, a mulher pegou o microfone das mãos do jornalista e disse que "Bolsonaro tinha razão, a Globo é um lixo".

Peters recebeu imediato apoio da classe jornalística e de telespectadores nas redes sociais. O jornalista agradeceu bastante. O repórter é um dos 80 profissionais do esporte que foram emprestados para o jornalismo para reforçar o departamento durante a pandemia.

A cobertura não é novidade para Peters, que já trabalhou em outras editorias antes. O fato de ter sido invadido durante um link não o deixou assustado para os próximos dias. Pelo contrário.

"Eu sempre fui da geral. Jornalismo está na veia. Deu mais gás", afirmou.

Chargista, Peters ainda enviou, durante a troca de mensagens, um desenho seu que julga ter relação com o incidente.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Esporte