PUBLICIDADE
Topo

Gre-Nal com 8 expulsões já deu prejuízo de R$ 62 mil e conta pode aumentar

Jeferson Guareze/AGIF
Imagem: Jeferson Guareze/AGIF
do UOL

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

31/03/2020 10h34

As oito expulsões no Gre-Nal de 12 de março, válido pela fase de grupos da Copa Libertadores, já deram prejuízo aos cofres de Grêmio e Internacional. De acordo com regulamento do torneio, cada cartão vermelho vem acompanhado da cobrança de uma multa. A soma da punição chega a cerca de R$ 31 mil para cada clube. O valor ainda pode aumentar.

Na segunda-feira, a Comissão Disciplinar da Conmebol ouviu sustentação oral de advogados gremistas e colorados. A decisão é aguardada ainda para esta semana e tem margem legal para majorar o valor da multa aos clubes.

O regulamento da Conmebol diz que as expulsões por cartão vermelho direto sempre serão acompanhadas de multa. E o valor será determinado pelas autoridades disciplinares, mas sempre com quantia mínima de 1,5 mil dólares (R$ 7,7 mil na cotação atual).

Ou seja, neste momento a fatura para cada um dos clubes já está em R$ 30,8 mil e pode ser reajustada.

O Grêmio teve Pepê, Luciano, Caio Henrique e Paulo Miranda expulsos. O Inter viu Moisés, Edenilson, Victor Cuesta e Praxedes receberam cartão vermelho.

A normativa da Conmebol indica que o valor aplicado como multa é descontado da cota paga aos clubes pelo avanço dentro do torneio.

Audiência por videoconferência

Na segunda-feira à tarde, Grêmio e Inter se defenderam com estratégias diferentes. Os advogados colorados usaram relato dos próprios atletas e o corpo jurídico gremista se ateve aos artigos e descrição dos fatos.

O Inter chegou a usar depoimento de Martín Sarrafiore, que não foi expulso e sequer denunciado no processo disciplinar, para argumentar que jogadores receberam cartão vermelho sem ter participação direta na confusão.

O Grêmio sustentou que não há histórico de atos de indisciplina e também versou sobre o início da confusão, em que Pepê é empurrado e não agride os adversários.

A previsão é que a decisão da Conmebol seja divulgada no máximo até sexta-feira, mesmo com a Libertadores suspensa até 5 de maio.

Esporte