PUBLICIDADE
Topo

O dia em que o KLB ofuscou a recepção do Paysandu após vitória sobre o Boca

Ju Fumero/UOL
Imagem: Ju Fumero/UOL
do UOL

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

26/03/2020 04h00

Vencer o Boca Juniors é uma tarefa árdua na Libertadores. Dentro da Bombonera, então, quase impossível. Em 24 de abril de 2003, o Paysandu surpreendeu e conseguiu as duas coisas ao bater o rival por 1 a 0, com gol de Iarley. Na volta para Belém, no Pará, a festa no aeroporto indicava que aquele elenco estava vivendo momentos de popstar. Imagina, então, ver dezenas de tietes gritando na porta do hotel.

O moral de Robgol, Iarley e companhia deu uma diminuída quando se tocaram que aquele monte de meninas gritando no hotel, provavelmente, nem sabia que um dia antes havia tido um jogo histórico no famoso estádio de Buenos Aires.

"A gente veio do aeroporto até o hotel quase em carreata, com muita gente acompanhando de bicicleta, de carro, a pé. Quando chegamos ao hotel, tinha um monte de meninas gritando. Cheguei e brinquei com a minha mulher: 'está vendo nossa moral?', e ela não entendeu", relembra o ex-atacante Robgol.

Robgol era uma das estrelas daquele Paysandu - Reprodução/Instagram
Robgol era uma das estrelas daquele Paysandu
Imagem: Reprodução/Instagram

"Eu disse: 'não está vendo aí na frente, um monte de menina mandando beijo, pedindo autógrafo?'. Ela olhou para a minha cara e disse: 'você acha que essas meninas estão atrás de vocês? As meninas estão aqui porque o KLB está hospedado no hotel'. Aí eu fiquei com cara de bunda (risos)."

O trio formado pelos irmãos Kiko, Leandro e Bruno era um fenômeno em 2003. Eles venderam mais de 8 milhões de cópias e emplacaram sucessos como "A Dor desse Amor" e "Ela não está Aqui".

Mesmo "ofuscados" no hotel em Belém, os jogadores do Paysandu entraram para a história do clube com a vitória na Bombonera. "O torcedor paraense tem muito carinho e orgulho do nosso feito. É difícil falar do Robgol sem lembrar do Paysandu e vice-versa", completa o ex-atacante.

Esporte