PUBLICIDADE
Topo

Virada e classificação faz pauta sobre Ganso e Nenê voltar ao Fluminense

Dupla formada por Nenê e Ganso pode ganhar sobrevida no Fluminense sobo o comando de Odair Hellmann - Lucas Merçon / Fluminense F.C
Dupla formada por Nenê e Ganso pode ganhar sobrevida no Fluminense sobo o comando de Odair Hellmann Imagem: Lucas Merçon / Fluminense F.C
do UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

28/02/2020 04h00

A vitória do Fluminense sobre o Moto Club e a consequente classificação à segunda fase da Copa do Brasil podem ter sinalizado ao técnico Odair Hellmann algo que já vem sendo discutindo há muito tempo nas Laranjeiras: Ganso e Nenê podem atuar juntos?

A partida em São Luís do Maranhão, na última quarta-feira (26), foi a primeira em que a dupla esteve por mais tempo junta nesta temporada. Até então, eles haviam estado lado a lado nos minutos finais no clássico com o Flamengo, pela semifinal da Taça Guanabara, e por aproximadamente 30 minutos no segundo duelo com o Unión La Calera, do Chile, pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Diante do Moto Club, Nenê foi titular, e Ganso entrou aos 34 minutos do primeiro tempo — na vaga do volante Yuri —, quando o Fluminense perdia por 2 a 1. A partir daí, o time comandado por Odair mudou a postura, demonstrou melhora, impôs mais o ritmo esperado e chegou à virada, fechando o placar em 4 a 2 — o camisa 77 marcou duas vezes.

Desta forma, Odair pode conseguir em algo que, até o momento, os antecessores não tiveram o sucesso esperado.

A estreia de Ganso em 2020 foi tardia por uma decisão da comissão técnica, que optou por dar ao meia uma pré-temporada maior para realizar equilíbrio muscular. O primeiro jogo dele foi no clássico com o Botafogo, pela Taça Guanabara, quando entrou aos 33 da etapa final.

Já Nenê, fez o "caminho inverso". Titular desde os primeiros compromissos do ano, vem sendo destaque e marcou sete gols em nove jogos, tendo uma média de 0,78.

A pauta já ronda o Tricolor desde o começo do ano passado, quando o então técnico Fernando Diniz, hoje no São Paulo, pediu os dois meias e afirmou que via características diferentes entre eles. Em julho, quando Nenê foi contrato, um dos assuntos principais foi a possibilidade de parceria com Ganso. Apesar das tentativas, a dupla acabou não engrenando.

Com Oswaldo de Oliveira, chegou uma mudança no esquema, mas a tentativa de usá-los simultaneamente permaneceu. Porém, o rendimento do time não correspondeu ao esperado e logo o treinador se despediu do Tricolor.

Com Marcão, que assumiu interinamente o comando da equipe na reta final do Brasileiro do ano passado, foram constantes as mudanças no time titular e, novamente, Ganso e Nenê não chegaram a ter sequência.

Agora, com Odair, os jogadores podem dar as respostas que o treinador espera e também se tornarem opções para os problemas que o treinador enxerga.

Esporte