PUBLICIDADE
Topo

Flamengo cumpre dever de casa no planejamento e volta atenções à meta nº1

Jorge Jesus e Filipe Luís, depois do título do Flamengo na Recopa. Rotina de troféus - Alexandre Vidal/Flamengo
Jorge Jesus e Filipe Luís, depois do título do Flamengo na Recopa. Rotina de troféus Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo
do UOL

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

28/02/2020 04h00

Em uma temporada repleta de taças em disputa, o Flamengo deu a largada em 2020 com 100% de seus objetivos cumpridos no primeiro terço do ano. Campeão da Supercopa, da Recopa e da Taça Guanabara, a equipe viu todos os objetivos traçados serem cumpridos e volta as atenções para a grande meta: o tri da Libertadores.

Com a vaga na decisão do Carioca já assegurada, o Fla deixa a disputa regional em banho-maria e se concentra na estreia da competição continental. Na quarta (4), o time de Jorge Jesus encara o Junior Barranquilla (COL), às 21h30, na casa do adversário. Para chegar com força total na Colômbia, o compromisso de amanhã (29) contra a Cabofriense, 18h, no Maracanã, será minimizado. Ante a maratona em pleno início da temporada, a ordem agora é centrar forças na disputa continental e dar descanso aos mais desgastados.

Após quebrar um jejum de 38 anos, o Rubro-Negro levantou mais uma vez a Libertadores em 2019. Para coroar o ano mágico, que incluiu os troféus do Brasileiro e do Carioca, faltou apenas o Mundial. Apesar do discurso de que a final contra o Liverpool foi "de igual para igual", uma espinha ficou atravessada na garganta de jogadores e comissão técnica. Com a obsessão de voltar ao Qatar muito clara no clube, a caminhada pelo topo da América do Sul é pedágio obrigatório e necessário.

Flamengo venceu a Libertadores de 2019 - Flamengo levanta taça da Libertadores: clube foi campeão do Brasileiro sem entrar em campo e terá premiação milionária da Globo (Divulgação) - Flamengo levanta taça da Libertadores: clube foi campeão do Brasileiro sem entrar em campo e terá premiação milionária da Globo (Divulgação)
Flamengo venceu a Libertadores de 2019
Imagem: Flamengo levanta taça da Libertadores: clube foi campeão do Brasileiro sem entrar em campo e terá premiação milionária da Globo (Divulgação)

"A ideia é ser o melhor da América. É você provar que é melhor não só pela qualidade de jogo, mas também pelo que conquista. Não temos dúvidas de que temos a maior torcida do mundo. Isso todo mundo sabe. Mas o que define os melhores é o que se ganha em campo", disse Jorge Jesus.

Embalados pelo bom momento, os rubro-negros não temem o grupo no torneio, mas os rivais Independiente del Valle (EQU), Junior Barranquilla (COL) e Barcelona (EQU) são considerados presas difíceis, especialmente pelos deslocamentos longos e a logística por vezes complicada. Além do título, o Fla traz consigo as experiências e percalços vividos na última edição.

"Pedreira. Quem acha que esse grupo do Flamengo é fácil, não conhece nada de futebol. É pedreira. Logística ruim, que você precisa viajar muito. Países lindos, mas que estão muito distantes do Rio de Janeiro. Precisa fazer cinco, seis horas de viagem, jogar em altitude... Tem de ter muito cuidado. E vai jogar o campeão. Todo mundo gosta de ganhar do campeão", discursou Marcos Braz, vice de futebol.

Em recuperação de lesões, Rodrigo Caio e Bruno Henrique estão sendo preparados para o duelo contra os colombianos. Fora da decisão da Recopa, a dupla corre para estar às ordens na próxima quarta-feira. Os dois vêm sendo avaliados diariamente e há otimismo pela presença do zagueiro e do atacante.

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que informado anteriormente, o jejum de títulos do Flamengo na Libertadores foi de 38 anos e não 28. O erro foi corrigido.

Esporte