PUBLICIDADE
Topo

Odair se salva com substituições e ganha alívio no Fluminense

Odair insiste em dois volantes, mas Fluminense melhora quando é mais ofensivo - Mailson Santana/Fluminense FC
Odair insiste em dois volantes, mas Fluminense melhora quando é mais ofensivo Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC
do UOL

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

27/02/2020 04h00

Mais do que a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil, a virada do Fluminense sobre o Moto Club garantiu alívio a Odair Hellmann. Pressionado pela eliminação vexatória na Copa Sul-Americana, o treinador conseguiu corrigir os próprios erros com substituições que tornaram o time mais ofensivo no Maranhão.

Desatento no início do jogo, o Tricolor chegou a estar perdendo por 2 a 0, mas mereceu a vitória no fim por ter mais qualidade. Mas a atuação nos primeiros 30 minutos após uma semana livre de treinos preocupou pela insistência em opções que não deram retorno. O Flu repetiu os mesmos erros da derrota para o Flamengo na Taça Guanabara. O técnico admitiu.

"Precisamos melhorar nossa construção e a concentração inicial", afirmou, em coletiva após o jogo.

Com dois volantes, o Flu não só criava pouco como era muito lento para recompor. Foi em velocidade que o Moto Club criou as jogadas de seus dois gols, escancarando a lentidão crônica de seu meio campo. Para a partida, Odair mexeu na defesa e no ataque, mas não mudou nada no setor que segue sendo dor de cabeça. Seu cargo não está em perigo, mas o técnico terá de ser convencido pelos seus acertos, ainda que sejam correções aos seus erros.

Assim como na semifinal de turno no Estadual, o Tricolor passou a errar menos e controlar o adversário com a posse de bola quando jogou para a frente. Desta vez, a partir da entrada de Ganso no lugar de Yuri. A coragem para a substituição, entretanto, faltou na hora de escalar um time com Yuri e Henrique para enfrentar uma equipe da Série D.

"A gente teve calma, organização e foi competente. Assim como fizemos quatro gols no Flamengo e valeram dois, hoje a gente fez quatro, valeram os quatro e nos classificamos", lembrou, esquecendo apenas de que o fez quando foi ofensivo e abriu mão de volantes lentos.

Mailson Santana/Fluminense FC
Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC

Sem sucesso, a dupla tem jogado invertida: o camisa 5 está mais avançado que o 8, o que não tem dado certo. Após o intervalo, Marcos Paulo entrou no lugar de Fernando Pacheco e com um golaço, mostrou que não pode ficar de fora da equipe.

Não fosse mais uma partida inspirada de Nenê, que mostrou poder atuar ao lado de Ganso, o Tricolor não teria a mesma sorte. Mérito para as mexidas, mas alerta ligado com a insistência no que está dando errado. Odair Hellmann ganhou sobrevida, mas precisa aprender com seus erros.

Esporte