PUBLICIDADE
Topo

Reservas do Vasco acusam torcida do Oriente Petrolero de racismo

do UOL

Bruno Braz e Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/02/2020 23h40

Durante o empate em 0 a 0 com o Oriente Petrolero, que garantiu a classificação do Vasco para a segunda fase da Copa Sul-Americana hoje (19), os jogadores cruzmaltinos que estavam no banco de reservas acusaram parte dos torcedores da casa de racismo.

Aos 40 do segundo tempo, eles alegaram à arbitragem terem sido chamado de "macacos", mas a arbitragem não levou adiante a situação e ainda puniu o zagueiro Ricardo Graça com cartão amarelo.

Segundo apuração do UOL Esporte, os gritos teriam sido iniciados contra o volante Juninho, e se intensificaram quando o goleiro Alexander viu, foi reclamar e também virou alvo.

Em seu Twitter, o Vasco postou uma nota de repúdio contra o episódio, e ofereceu solidariedade a Alexander:

Talles exalta garra da equipe

Eleito o melhor em campo pela Conmebol, o atacante Talles Magno destacou a garra da equipe em Santa Cruz de La Sierra para ficar com a vaga para a segunda fase da Copa Sul-Americana.

"Foi um jogo muito difícil, mas graças a Deus conseguimos sair com a classificação. O time foi muito bem, teve bastante garra e esforço", disse ao canal por streaming DAZN.

O Vasco se classificou por ter vencido no jogo de ida, em São Januário, por 1 a 0 com gol do atacante argentino Germán Cano.

A próxima fase continental ainda terá os chaveamentos e as datas definidas através de sorteio pela Conmebol.

Esporte