PUBLICIDADE
Topo

São Paulo repete qualidades e principal defeito de times de Fernando Diniz

Fernando Diniz à beira do campo durante o jogo entre São Paulo e Corinthians, no Morumbi, no último sábado - Daniel Vorley/AGIF
Fernando Diniz à beira do campo durante o jogo entre São Paulo e Corinthians, no Morumbi, no último sábado Imagem: Daniel Vorley/AGIF
do UOL

Diego Salgado e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo

17/02/2020 04h00

O São Paulo do técnico Fernando Diniz mantém os defeitos e acertos da carreira do atual treinador do time do Morumbi. Desde que começou a se destacar no futebol pelo Audax-SP, os times de Diniz demonstram muita qualidade: sai jogando com a bola desde o goleiro com bastante qualidade, domina a posse de bola, joga de forma "vertical" sempre buscando o gol e cria muitas finalizações. No entanto, o time de Diniz carrega um estigma de pecar nas finalizações.

Fernando Diniz, aliás, perdeu a final de Campeonato Paulista de 2016 por conta disso. Na decisão contra o Santos, o Audax criou muitas jogadas de gol, na Vila Belmiro, mas perdeu muitos gols, e viu Ricardo Oliveira decidir o título para o alvinegro praiano com vitória por 1 a 0.

Na ocasião, o Audax finalizou 11 vezes ao gol e dominou a posse de bola: 68% contra apenas 32% do Santos. No fim, os santistas foram campeões.

O São Paulo de hoje também carrega o mesmo defeito ao pecar nas finalizações. No empate sem gols contra o Corinthians, o Tricolor criou oportunidades de gol, mas a falta de precisão para chutar a gol prejudicou o time mais uma vez.

"A gente precisa vencer o jogo, e para vencer precisa fazer gol. Eu não atribuo a um elemento ou outro. Temos que melhor coletivamente. A bola vai passar a entrar. Estamos criando, temos que insistir. Você está fazendo bastante coisa certa, mas o final, que é o gol, estamos errando. Mas não é deixando de fazer muita coisa certa que vamos ganhar os jogos. Na maior parte do jogo fomos dominantes", afirmou Diniz após o clássico.

No Campeonato Paulista deste ano, o São Paulo teve maior posse de bola do que o adversário em todos os jogos, segundo estatísticas do Footstats. Contra o Santo André, por exemplo, o time de Fernando Diniz terminou o jogo com 72% de posse de bola e finalizou 22 vezes. O resultado final do jogo mantém o estigma na carreira do treinador: vitória do time do ABC paulista por 2 a 1.

Veja posse de bola e finalizações do SP no Paulistão:

São Paulo 0 x 0 Corinthians
Posse: 51%
Finalizações: 16 (6 certas e 10 erradas)
413 passes (375 certos e 38 errados)

Santo André 2 x 1 São Paulo
Posse: 72%
Finalizações: 22 (10 certas e 12 erradas)
629 passes (590 certos e 39 errados)

São Paulo 1 x 1 Novorizontino
Posse: 69%
Finalizações: 26 (6 certas e 20 erradas)
530 passes (486 certos e 44 errados)

Ferroviária 1 x 2 São Paulo
Posse: 59%
Finalizações: 16 (11 certas e 5 erradas)
488 passes (463 certos e 25 errados)

Palmeiras 0 x 0 São Paulo
Posse: 52%
Finalizações: 17 (5 certas e 12 erradas)
452 passes (418 certos e 34 errados)

São Paulo 2 x 0 Água Santa
Posse: 64%
Finalizações: 19 (7 certas e 12 erradas)
662 passes (627 certos e 35 errados)

Esporte