PUBLICIDADE
Topo

Athletico tira Rony de viagem e vê brasileiros interessados no atacante

Rony comemora após marcar pelo Athletico Paranaense sobre o Goiás - Gabriel Machado/AGIF
Rony comemora após marcar pelo Athletico Paranaense sobre o Goiás Imagem: Gabriel Machado/AGIF
do UOL

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/01/2020 11h00

O atacante Rony foi retirado da delegação do Athletico Paranaense que embarca hoje para a Argentina, onde disputa um torneio de verão. Em meio a complicadas negociações para a renovação de seu contrato, o jogador começa a despertar interesse de outros clubes brasileiros.

Com contrato válido até julho de 2021, Rony poderia assinar contrato para se transferir de graça para outro clube a partir de dezembro. O Athletico e seu estafe vêm conversando sobre uma possível renovação há meses, mas ainda não conseguiram chegar a um consenso.

Enquanto começa a despertar interesse de outros clubes brasileiros, Rony foi retirado da delegação que vai à Argentina. Em entrevista à TNT, o técnico Dorival Júnior admitiu que existe a chance de baixas para a temporada.

"Pode ser que aconteçam algumas alterações [no elenco], até porque eles se destacam, eles não ficam, o Athletico está sempre num processo de renovação", afirmou.

Rony acertou com o Athletico em 2018 após romper por via judicial com o Albirex Niigata, em ação ainda discutida na Fifa. À época, negociou com o Corinthians, que optou por não assumir o risco da contratação. O Botafogo chegou a anunciar o jogador, mas também recuou. O Furacão decidiu apostar no atacante, ciente de que o imbróglio pode acabar em pagamento de multa ao clube japonês.

Uma possível negociação não deve ter desfecho simples. Nessa semana, Athletico e Albirex Niigata foram notificados pela Fifa para apresentarem suas considerações finais por conta do litígio que tirou Rony do Japão. Estima-se que, caso tenha de pagar pelo ingresso do jogador, o Furacão possa ter de desembolsar cerca de 10 milhões de dólares (R$ 42 milhões). A decisão deve sair em até seis meses.

Esporte