PUBLICIDADE
Topo

Brasil segue na corrida para sediar a Copa do Mundo feminina em 2023

13/12/2019 16h52

Redação Central, 13 dez (EFE).- A Fifa anunciou nesta sexta-feira que recebeu as candidaturas de Brasil, Colômbia, Japão e a conjunta entre Austrália e Nova Zelândia, para sediar a próxima edição da Copa do Mundo feminina, que acontecerá em 2023.

As federações dos respectivos países são as que formalizaram o interesse de receber a competição, em disputa que será concluída em junho de 2020. Com o fim do prazo de oficialização das propostas, África do Sul, Argentina e as duas Coreias, que também iriam participar juntas da corrida, estão fora.

A partir deste momento, a Fifa iniciará o processo de avaliação das candidaturas, o que inclui diversas visitas de inspeção, previstas para os meses de janeiro e fevereiro do ano que vem.

A partir daí, federações que forem consideradas aptas se apresentarão ao Conselho da Fifa, em junho, na cidade de Adis Abeba, na Etiópia, em junho, onde haverá a definição da sede da Copa Feminina.

O Mundial de 2023 será o primeiro da história que contará com 32 seleções, oito a mais do que o número de participantes do torneio deste ano, realizado na França. EFE

Esporte