PUBLICIDADE
Topo

Em boa fase, Viviane Araújo afirma não ter pressa por disputa de cinturão do UFC

Neri Fung, em Niterói (RJ)

Ag. Fight

10/12/2019 06h00

Com apenas duas lutas pelo Ultimate, Viviane Araújo foi escalada para encarar Jessica Eye - ex-desafiante ao cinturão peso-mosca (57 kg) - no próximo sábado (14), em Las Vegas (EUA), pelo UFC 245. Uma vitória sobre a americana poderia significar, além da manutenção de sua invencibilidade na entidade, a aproximação de uma chance de lutar pelo título da categoria. Porém, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, 'Vivi', como é conhecida, revelou que não tem pressa em conquistar a cinta até 57 kg e indicou que pretende ganhar mais experiência antes de se testar contra a campeã.

Após aceitar de última hora o combate contra Talita Bernardo, válido pelo peso-galo (61 kg), e nocautear a compatriota em maio deste ano, no Rio de Janeiro (RJ), 'Vivi' - que originalmente competia no peso-palha (52 kg) - decidiu seguir sua trajetória no Ultimate na categoria intermediária, a do peso-mosca. Em julho deste ano, já pela nova divisão, Araújo derrotou a experiente Alexis Davis por decisão unânime dos juízes.

As boas apresentações garantiram à brasileira a quinta posição no ranking da categoria, além da chance de enfrentar mais uma lutadora de renome e que disputou o cinturão peso-mosca em sua última luta. E, ainda que um triunfo sobre Jessica Eye - atual segunda colocada na lista top 15 da divisão - possa deixar 'Vivi' próxima de um title shot, a brasileira demonstra cautela ao prever o seu futuro. De acordo com ela, seu principal objetivo atualmente é ganhar experiência na nova classe de peso e manter a boa fase na organização.

"A gente está chegando agora na divisão, é uma categoria nova, eu fiz uma excelente luta contra a Alexis Davis, que era a sexta do ranking, então eu já pulei algumas casas. Mas, na verdade, eu quero mostrar serviço na organização, fazer lutas boas, lutas interessantes, contra atletas duras. Ainda não estou visando o cinturão, mas se acontecer e a oportunidade vier eu vou estar preparada", explicou Viviane Araújo.

O cinturão peso-mosca do UFC será colocado em disputa no próximo dia 8 de fevereiro, na cidade de Houston (EUA), no confronto entre a atual campeã Valentina Shevchenko e a desafiante Katlyn Chookagian. E, de acordo com 'Vivi', se o Ultimate não garantir seu title shot imediatamente, em caso de vitória sobre Jessica Eye neste sábado, ela estaria disposta a realizar mais uma luta para provar seu valor e conquistar sua chance pelo título.

"Seria bem interessante fazer uma luta a mais depois da Jessica. É o que eu quero. Trabalhar, fazer lutas boas até chegar a uma disputa de cinturão. Quero ganhar experiência, me sentir preparada dentro da divisão, que é nova para mim, mas na qual estou me sentindo muito bem. Pretendo ir passo a passo, sem queimar etapas, e, se Deus quiser, o cinturão vai vir em breve", declarou.

Ciente de que precisa evoluir em alguns pontos para chegar preparada a uma possível disputa pelo cinturão, Viviane modificou algumas coisas em seu camp para o confronto contra Jessica Eye. A lutadora, que pelo estilo agressivo e de muita movimentação sofreu com o gás em sua última luta, mudou o responsável pela sua preparação física. De acordo com ela, a estratégia também passa por aprender a dosar melhor os momentos de ataque frenético durante a luta, sem perder a característica positiva de seu jogo.

"Estou focando muito na minha preparação física, melhorando meu gás, que foi um ponto que eu senti na minha última luta. Então, eu mudei meu preparador físico, estamos pegando firme, e meu gás está excelente agora. Estou na minha melhor forma física e mental. A gente está aliando a preparação física junto com algumas técnicas a mais que a gente está buscando, com o meu novo professor, o Rodrigo Lima, do 'Pratique Movimento', que é uma nova modalidade. E engloba a parte de ritmo, de movimentação, para trabalhar mais o meu jogo de pés, mas sem cansar tanto", contou Araújo, antes de completar.

"O objetivo é trabalhar com inteligência e buscar dosar mais o meu gás na luta, usar na hora certa os momentos de explosão. Sem perder a minha característica maior, que é a minha velocidade, além da potência nos golpes, porque eu também tenho a mão pesada. Então, é isso, aliar a minha inteligência de jogo com o meu gás, que vai estar melhor nessa luta", concluiu.

Além da preocupação com a parte física, Viviane continua trabalhando com sua psicóloga a parte mental. O trabalho em conjunto, que começou há três anos, é considerado pela lutadora como um de seus diferenciais. E, aparentemente, está dando certo, já que em nove combates no MMA profissional, 'Vivi' acumula oito triunfos e apenas um revés, em abril de 2017, para Sarah Frota.

Esporte