PUBLICIDADE
Topo

Thiago Neves, Argel ensopado, Clube do Vinho: os personagens do Brasileirão

Argel trocou o CSA pelo Ceará faltando três rodadas para acabar o Brasileirão - MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Argel trocou o CSA pelo Ceará faltando três rodadas para acabar o Brasileirão Imagem: MOREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
do UOL

Do UOL, em São Paulo

09/12/2019 04h00

O Brasileirão terminou, mas os personagens que deram um toque diferente ao campeonato ficarão na memória do torcedor. Não faltaram situações inusitadas na temporada, desde as turbulências de Thiago Neves no Cruzeiro até a polêmica do "Clube do Vinho" de Abel Braga no Flamengo, passando pelo áudio vazado que culminou na saída de Vagner Mancini do São Paulo.

Leia mais no especial: "Flamengo domina o Brasileirão em ano de novidades na parte de cima e na de baixo da tabela".

Thiago Neves

Meia roubou a cena pelas polêmicas. A queda de braço que rendeu a demissão do técnico Rogério Ceni no Cruzeiro após críticas públicas foi uma delas, além da ocasião em que ele disse que estava jogando lesionado sem Abel Braga saber. Por fim, um áudio vazado cobrando salários atrasados e a presença em uma festa enquanto tratava lesão o fizeram ser afastado.

Vagner Mancini

Técnico do Atlético-MG nas 13 rodadas finais teve outra função no Brasileiro: coordenador do São Paulo. Saiu em setembro, depois que não foi efetivado. Na ocasião, um áudio vazou e deu polêmica: "Sabe por que eu saí, boleirão? Porque eu fui efetivado e quatro horas depois o Daniel Alves pediu o Fernando Diniz. Disseram que estavam em dúvida. Aí eu falei: então estou indo embora".

Argel Fucks

No Brasileirão, treinador dirigiu o CSA por 26 partidas - assumiu em julho, com o time em 19º, e pediu demissão em novembro, uma posição acima. Depois, comandou o Ceará nas três rodadas finais. Uma coisa que chamou atenção nos jogos em que trabalhou foi o estado de sua camisa. Enérgico, Argel terminava molhado de suor. Fotos e vídeos desses momentos viralizaram.

Abel e o "Clube do Vinho"

Começou o ano no Flamengo e participou da campanha campeã com três vitórias, um empate e duas derrotas. O mau rendimento deu início à polêmica abraçada pelo jornalista Mauro Cezar Pereira, segundo a qual Abel tinha o hábito de beber vinho com amigos, inclusive da imprensa, o que abrandaria as críticas. Ele ainda dirigiu o Cruzeiro, com três vitórias em 14 jogos.

Esporte