PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras nebuloso: entenda as indefinições e os passos pelos novos rumos

Galiotte tem reuniões diárias com seus vices para definir o futuro do Palmeiras - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Galiotte tem reuniões diárias com seus vices para definir o futuro do Palmeiras Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
do UOL

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Maurício Galiotte faz reuniões diárias com seus diretores e vices para definir o futuro do Palmeiras
  • Jorge Sampaoli é prioridade, mas outros nomes são estudados para assumir o lugar de Mano Menezes. Definição deve ser só semana que vem
  • Para o cargo que era de Mattos, nomes estudados são os de Rodrigo Caetano, do Inter, e Diego Cerri, do Bahia
  • A princípio, reformulação pode ser mantida, mas alguns nomes podem ganhar novas chances com a mudança de treinador

Depois da derrota para o Flamengo no último domingo, o Palmeiras precisou aumentar os planos de reformulação. Se antes o alvo era montar um novo elenco, com mais atletas da base e menos contratações, agora, o time também precisa, antes, definir quem será seu diretor e também seu treinador. A busca só deve terminar no ano que vem e, por enquanto, ainda há uma série de dúvidas que deixa o torcedor ansioso.

O Alviverde já faz reuniões diárias e tem uma espécie de comitê de diretores e vices que ajuda Maurício Galiotte a tomar uma decisão. No mundo ideal, o nome do diretor será definido antes da assinatura com o novo técnico. Separamos, então, o que tem sido discutido pela diretoria:

Sucessor de Mattos

Diego Cerri despertou o interesse do Palmeiras para o cargo de diretor de futebol - Felipe Oliveira / EC Bahia
Diego Cerri despertou o interesse do Palmeiras para o cargo de diretor de futebol
Imagem: Felipe Oliveira / EC Bahia

Depois de elaborar uma lista com diversos nomes para assumir o cargo de diretor executivo, o clube fechou a concorrência em dois nomes. Rodrigo Caetano, do Internacional, tem reunião hoje com representantes do clube para entender se o projeto palmeirense bate com as ideias dele de trabalho. Ele tem contrato com o Colorado até 2020 e tem poder crescente no Beira-Rio.

Seu concorrente é Diego Cerri, do Bahia. Com perfil que vai ao encontro com a ideia do clube de ter um diretor mais discreto, ele também foi sondado e deve ser chamado para reunião. Com um currículo mais curto que o de seu concorrente, é visto com bons olhos por parte do comitê por sua "fome" de trabalhar em um clube de grande expressão.

Técnico

O Palmeiras quer Jorge Sampaoli, como já não é segredo para ninguém. O clube espera o término do Brasileirão para abrir negociações de maneira oficial com o hoje treinador do Santos. Como sua saída da Vila Belmiro é tratada como questão de tempo, há otimismo pelo acerto com o argentino.

Se as conversas não prosperarem, o time paulista terá de ampliar seu escopo, e aí a lista de candidatos tende a ficar extensa, com nomes como Marcelo Gallardo, do River Plate, Carlos Queiroz, da seleção colombiana, e até Renato Gaúcho, do Grêmio, sendo algumas das opções comentadas.

Gabriel Veron comemora gol do Palmeiras na final da Copa do Brasil sub-17 - Fabio Menotti/Palmeiras
Gabriel Veron comemora gol do Palmeiras na final da Copa do Brasil sub-17
Imagem: Fabio Menotti/Palmeiras

Reforços

O Palmeiras já havia feito reuniões com Alexandre Mattos e Mano Menezes para definir algumas de suas prioridades. Os garotos que serão promovidos da base devem continuar com a oportunidade para 2020, como Gabriel Veron, mas a negociação por reforços deu uma travada natural, por conta da ausência de um diretor que possa conduzir os negócios e de um técnico que dê seus palpites.

O Alviverde confia que o mercado ainda vai esperar a definição dos novos nomes de comando do Palmeiras para poder abrir negociações com o clube que tem dos maiores orçamentos do país. Um zagueiro, um meia criativo e um atacante para concorrer com Luiz Adriano são as prioridades.

Herança de Mattos

A diretoria decidirá após o Brasileiro se continuará com alguns dos nomes indicados por Mattos para a comissão técnica. A princípio, Galiotte também quer manter a lista de saídas que havia sido elaborada com a ajuda de Mano. Nomes como Borja, Deyverson, Hyoran, Raphael Veiga, Carlos Eduardo e Antônio Carlos podem ser negociados.

Também já está definido que Edu Dracena não seguirá no elenco após decidir se aposentar. Thiago Santos também será vendido ao FC Dallas, dos Estados Unidos. Henrique Dourado não terá seu empréstimo renovado. Fernando Prass, que tem contrato até dezembro, deve sair, mas o novo treinador pode fazer Galiotte mudar de ideia. O mesmo vale para o lateral Victor Luís, que não agradava a Mano.

Esporte