Topo

Soteldo iguala Montillo e pode alcançar primeiro ano de Molina pelo Santos

Soteldo marcou pelo Santos contra o Botafogo - Marcello Zambrana/AGIF
Soteldo marcou pelo Santos contra o Botafogo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
do UOL

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

03/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Soteldo soma 19 participações em gols em sua primeira temporada vestindo a camisa do Santos
  • O número já é superior ao de Copete, igual ao Montillo e pouco menor do que o de Molina, estrangeiros de mais sucesso recente no clube
  • Ao lado de Sánchez, venezuelano ajuda a quebrar paradigma santista com gringos
  • A primeira temporada do uruguaio durou apenas seis meses, mas levando em conta o primeiro ano, números igualam Molina

O venezuelano Yeferson Soteldo é o grande destaque individual da temporada 2019 do Santos. O pequenino atacante começou tímido, vindo muitas vezes do banco, mas se consolidou entre os titulares e já soma 19 participações diretas em gols no ano, igualando a primeira temporada do argentino Walter Montillo e ficando atrás apenas dos números do colombiano Molina entre os estrangeiros recentes do Peixe.

Até aqui, Soteldo já marcou e concedeu sete assistências em 49 jogos em seu ano de estreia no clube. Montillo, em 2013, entrou em campo as mesmas 49 vezes vestindo também a camisa 10 santista: ele anotou oito gols e somou 11 assistências. Ambos ficam atrás de Maurício Molina, que precisou de 44 jogos para balançar as redes 12 vezes e ainda distribuir dez passes para gol, em 2008.

O atual camisa 10 santista já superou a primeira temporada de outro colombiano que está marcado na história do Santos: Jonathan Copete. O atacante que está emprestado ao Pachuca, do México, é o maior artilheiro gringo da história do Peixe, com 26 gols, mas em sua primeira temporada com a camisa alvinegra somou duas participações a menos que Soteldo em gols: foram 17, com 12 gols e cinco assistências.

O clube da Vila Belmiro não costuma ter muita sorte quando contrata estrangeiros. Nem Copete, que detém a artilharia citada, nem mesmo Montillo, que veio a peso de ouro do Cruzeiro (6 milhões de euros), se tornou unanimidade na Vila Belmiro. O paradigma, no entanto, vem sendo quebrado tanto por Soteldo quanto por Carlos Sánchez.

O uruguaio somou quatro gols e quatro assistências em somente 18 jogos na sua primeira temporada com a camisa do Peixe, que durou seis meses. Levando em conta as primeiras 44 partidas, número igual ao Molina por exemplo, Sánchez teria 16 gols e seis assistências, as mesmas 22 participações em gols do colombiano.

Neste ano, Sánchez lidera a equipe nos dois quesitos. Foram 17 gols e dez assistências em 56 jogos sob o comando do técnico Jorge Sampaoli. O camisa 7 pode, em breve, tomar dos pés de Copete a artilharia gringa do Peixe: são 26 gols do colombiano contra 21 do uruguaio.

Esporte