Topo

Sem Ganso, Flu confia na volta de 'motorzinho' Daniel contra o Fortaleza

Daniel dá ritmo ao meio-campo do Fluminense no Campeonato Brasileiro - Mailson Santana/Fluminense FC
Daniel dá ritmo ao meio-campo do Fluminense no Campeonato Brasileiro Imagem: Mailson Santana/Fluminense FC
do UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro

03/12/2019 04h00

A falta de criatividade do meio de campo do Fluminense foi um dos motivos do empate insosso com o Avaí. Além da falta de entrosamento dos jogadores que formaram o quarteto do setor na Ressacada, o time se ressentiu do 'motorzinho' Daniel, suspenso para a partida, e de Ganso, que seguirá fora do time com lesão muscular na coxa esquerda.

A má atuação de Nenê, que não finalizou nenhuma vez e perdeu 18 vezes os duelos em seus 59 toques na bola (dados do SofaScore), também não ajudou. O experiente meia tentou ditar o ritmo em alguns momentos, mas ainda se mostrou desconectado do jogo de apoios e troca de passes característico do Tricolor. Além disso, não conseguiu ajudar o time a controlar a partida que poderia livrar o clube matematicamente das chances de rebaixamento.

Para o jogo contra o Fortaleza, amanhã (3), às 21h50, no Maracanã, o Flu, ao menos, poderá contar com o retorno de Daniel. Jogador com mais assistências e passes decisivos da equipe, o camisa 20 terá a incumbência de liderar a armação de jogadas da equipe. Além dele, o zagueiro Digão, que também cumpriu suspensão, voltará à equipe na vaga de Luccas Claro.

Os números do jogo contra o Avaí mostram como a ausência dele (e de Ganso) foi sentida: o Tricolor finalizou apenas sete vezes e concentrou seus ataques pela esquerda. Normalmente, o time de Marcão atua mais pela direita, lado dele no losango armado pelo meio.

"A gente vinha jogando com dois homens mais criativos, o Paulo e o Daniel, que têm muita importância. O Dodi cumpriu bem a função, mas é um estilo um pouco diferente. Ele cumpriu o que foi pedido. Conseguimos controlar o jogo no primeiro tempo. Em um jogo como esse, você tem que criar bastante. Depois, quando faz o gol, tem que pensar na melhor situação. Estava um jogo bem controlado, mas não fomos além disso. Tentamos manter isso", opinou Marcão em coletiva após o empate.

Com Daniel em campo, o Fluminense também tem aproveitamento melhor: são 51,2% dos pontos conquistados em 54 partidas, contra 35,8% em jogos sem o meia. No Brasileirão, ele desfalcou o time em oito jogos, e o Tricolor venceu apenas duas vezes (29,1% de aproveitamento). Quando atuou, a equipe teve média sensivelmente superior aos 38,9% atuais: 41,7% dos pontos. Com 42, o Flu é o 15º colocado do Campeonato Brasileiro.

Esporte