Topo

Palmeiras sabe de "risco" Sampaoli, mas faz investida com calma e otimismo

Jorge Sampaoli observa o clássico entre Santos e São Paulo na Vila Belmiro - Bruno Ulivieri/AGIF
Jorge Sampaoli observa o clássico entre Santos e São Paulo na Vila Belmiro Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF
do UOL

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

03/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Clube sabe que contratação não é garantis de sucesso e conhece o risco de acertar com o argentino
  • Maurício Galiotte e companhia buscaram informações sobre a gestão do técnico na Vila Belmiro
  • Sampaoli coleciona pequenos atritos no seu dia a dia que podem minar a convivência diária
  • Não houve conversas para oficializar uma proposta, mas o Palmeiras entende que os valores atuais para treinar o Santos serão consideravelmente maiores

O Palmeiras sabe que a contratação de Jorge Sampaoli não é algo que garanta o sucesso e conhece o risco de acertar com o argentino em aspectos técnicos, financeiros e de relacionamento, mas entende que essa é a melhor opção no momento para assumir o lugar de Mano Menezes. Um grupo próximo ao presidente, de todo modo, também já traça planos alternativos.

Segundo apurou o UOL Esporte, Maurício Galiotte e aliados sabem que a contratação do treinador envolve diversos riscos, considerando o que já ouviram sobre a gestão dele na Vila Belmiro. Mas entendem que uma estrutura mais profissional possa diminuir os atritos que viraram rotineiros na Baixada Santista.

O tom é de otimismo na Academia de Futebol. Por conta das entrevistas recentes na Baixada, o entendimento é que ele não topará continuar no atual clube. A diretoria também não vê como problema a postura do argentino de só abrir conversas de maneira oficial após o término do Brasileirão. Não há pressa para o acerto e a reformulação planejada anteriormente segue em pauta.

Apesar de ter resultados positivos e um "futebol vistoso", Sampaoli coleciona pequenos atritos no seu dia a dia, daqueles que podem dificultar a convivência com os mais diversos setores de um time —estamos falando aqui de jogadores, diretores, funcionários que tocam a rotina do centro de treinamento e até de outros departamentos.

O técnico não gosta de ser contrariado na hora do planejamento e gosta de ditar as regras de convivência. Ele também tem no pacote alguns homens de confiança com quem gosta trabalhar que elevam o custo de sua contratação.

Não houve conversas para oficializar uma proposta, mas o Palmeiras entende que os valores atuais para treinar o Santos serão consideravelmente inflacionados por conta da concorrência com outras equipes.

Na Argentina, o Racing também encarava com otimismo a possível chegada de Sampaoli. O único entrave para um acerto, na visão de seus dirigentes, seria justamente a proposta de um clube grande do Brasil. Ele é cotado para assumir o lugar de Eduardo Coudet, que vai treinar o Internacional.

Esporte