Topo

Gallardo descarta comparações e diz que título sobre Boca foi "inesquecível"

22/11/2019 19h45

Lima, 22 nov (EFE).- O técnico do River Plate, Marcelo Gallardo, disse nesta sexta-feira que a final da Taça Libertadores deste sábado, contra o Flamengo, não pode ser comparada com a vencida pelos 'Millonarios' no ano passado, contra o arquirrival Boca Juniors, em Madri.

"Já tivemos uma experiência inesquecível, que foi ganhar a Taça contra o eterno rival de toda a vida. As finais são todas difíceis, não vamos comparar. Esta é uma nova instância e um adversário diferente, que tem suas qualidades e seu poder, e que depois de 38 anos tem a possibilidade de jogar uma nova final", declarou Gallardo em entrevista coletiva no Estádio Monumental, em Lima, palco do duelo deste sábado.

O técnico argentino afirmou que entende o maior entusiasmo por parte dos torcedores do Fla, que disputa a final pela primeira vez desde 1981. Para ele, isso fortalece o River, que só nos últimos cinco anos conquistou dos títulos da Libertadores, um da Copa Sul-Americana e três da Recopa Sul-Americana.

"Isso nos fortalece, não pelo que vivemos e conquistamos, mas porque estamos no lugar que merecemos e vamos tentar defendê-lo. Somos o último campeão da América e vamos tentar provar isso contra um adversário muito forte, que tem a mesma capacidade que nós para conquistar o título", analisou.

UMA NOVA FINAL COM ENORME VALOR.

Disputar a final da Taça Libertadores em dois anos seguidos não tem sido algo comum. O último que havia realizado feito foi o São Paulo, campeão em 2005 e vice em 2006.

"Voltar à final tem um valor enorme. É algo que requer muita motivação depois de tudo que conquistamos e injetando novamente a energia com que a equipe voltou a competir este ano", exaltou o 'Muñeco'.

"Vamos enfrentar um grande adversário e temos a experiência do que vivemos, mas não vivemos da história. Estabelecemos para nós mesmos o objetivo de nos tornarmos muito competitivos novamente", acrescentou.

NADA A ESCONDER.

O treinador do tetracampeão da América não teve dúvidas em anunciar que o time titular será o habitual, descartando, assim, de apostar num esquema com três zagueiros. Os titulares serão: Franco Armani, Gonzalo Montiel, Javier Pínola, Lucas Martínez Quarta, Milton Casco, Enzo Pérez, Exequiel Palacios, Ignacio Fernández, Nicolás de La Cruz, Matías Suárez e Rafael Santos Borré.

Gallardo acredita ser improvável que haja muitos gols na final. Em sua visão, as duas equipes tomarão algumas precauções e lembrou que as finais costumam ser fechadas. "Espero que haja um bom show, porque vai haver grandes valores no campo de jogo", comentou.

FINAL SEM FAVORITO.

Quanto a um possível favoritismo por parte do Flamengo, Gallardo disse não ter sentido essa impressão por parte dos jogadores da equipe carioca. Segundo ele, ambos os lados demonstraram o mesmo respeito.

"Somos candidatos, não há mais nada a dizer. Acreditamos que somos candidatos. Temos as mesmas chances que o Flamengo. Se o adversário é melhor, terá que provar isso em campo; se formos melhores, vamos manter o troféu", declarou. EFE

Esporte