Topo

Após mês sem futebol, jogo no Chile é suspenso por ataque de "barra bravas"

Campeonato Chileno retornou após mais de mês paralisado por causa de protestos no país - Reprodução/Facebook
Campeonato Chileno retornou após mais de mês paralisado por causa de protestos no país Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Do UOL, em São Paulo

22/11/2019 18h43

A entrada de manifestantes no estádio Bicentenário La Florida, em Santiago, suspendeu hoje uma das partidas que marcava o retorno do Campeonato Chileno após mais de um mês de paralisação em função dos protestos no país.

União La Calera e Iquique se enfrentavam no momento em que um grupo interrompeu a partida, que seguia em 0 a 0, já no segundo tempo, atirando objetos no gramado.

Os torcedores, vestidos com camisas do Colo Colo e capuzes cobrindo o rosto, foram identificados pelo jornal chileno El Mercúrio como integrantes da torcida organizada Garra Blanca.

A partida foi paralisada e os jogadores correram para o vestiário. De acordo com a publicação, os torcedores continuaram arremessando objetos e atearam fogo em barricadas nos arredores do estádio.

Esta tarde marcou o retorno do futebol no país após a onda de protestos contra o governo. A organizada já havia se posicionado contra a realização dos jogos enquanto a crise política não fosse resolvida.


O presidente da ANFP (Associação Nacional de Futebol Profissional), Sebastián Moreno, confirmou a suspensão da partida e disse que deve analisar se há segurança para garantir os outros jogos.

"Lamentavelmente não estamos em condições (de continuar). A partida foi suspensa e teremos de analisar os outros jogos", disse ao Mercúrio.

Aos 10 minutos de jogo, os atletas de União La Calera e Iquique se reuniram no gramado para fazer um minuto de silêncio em solidariedade às reivindicações sociais. Eles estenderam uma faixa com os dizeres: "Por um Chile mais justo".

A outra partida do dia decorreu sem problemas e terminou com a vitória do Cobresal sobre a Unión Española por 3 a 2.

Esporte