Topo

Verstappen domina e vence GP do Brasil marcado por acidente da Ferrari

Ricardo Moraes/Reuters
Imagem: Ricardo Moraes/Reuters
do UOL

Do UOL, em São Paulo

17/11/2019 15h47Atualizada em 17/11/2019 17h56

Resumo da notícia

  • Max Verstappen dominou a prova em Interlagos e venceu, com Pierre Gasly em segundo
  • Francês se beneficiou de abandono das Ferrari e de acidente entre Albon e Hamilton
  • Hamilton seria o terceiro lugar, mas acabou punido; Carlos Sainz herdou o lugar no pódio
  • Toque entre Vettel e Lecler a cinco voltas do fim provocou abandono dos dois pilotos

Max Verstappen venceu um Grande Prêmio do Brasil tumultuado e cheio de emoções. Pole position da prova, o holandês da Red Bull se garantiu desde o começo da prova e cruzou a linha de chegada em primeiro. Pierre Gasly e Carlos Sainz completaram as três primeiras posições.

Gasly fez uma prova competitiva, andando sempre atrás das Mercedes, das Ferrari e das Red Bull, mas à frente das demais equipes. Só que o francês acabou sendo o maior beneficiado das emoções das últimas voltas da corrida.

Primeiro, Sebastian Vettel e Charles Leclerc se tocaram e abandonaram a corrida na volta 66. Depois de um safety car provocado pela dupla, Alexander Albon e Lewis Hamilton se tocaram, abrindo a porta para o francês da Toro Rosso passar ambos. Foi o primeiro pódio do francês na categoria.

Hamilton ainda conseguiu o terceiro lugar, tentando superar a Toro Rosso até a linha de chegada. No entanto, o britânico acabou punido pelo toque em Albon, com 5 segundos acrescidos a seu tempo final, caindo para o sétimo lugar.

Também em seu primeiro pódio, Carlos Sainz acabou com o terceiro colocado com a McLaren, no melhor resultado da equipe desde o fim da parceria com a Mercedes, no fim de 2014. Naquele ano, o time conseguiu colocar seus dois pilotos no GP da Austrália, com Kevin Magnussen em segundo e Jenson Button em terceiro.

A Alfa Romeo colocou Kimi Raikkonen em quarto e Antonio Giovinazzi em quinto. Daniel Ricciardo (sexto), Lando Noris (oitavo), Sergio Perez (nono) e Daniil Kvyat (décimo) completaram a zona de pontuação. Alexander Albon, que chegou a brigar por pódio, foi 14º.

Bruno Senna com a McLaren

Antes da largada, Bruno Senna participou de um evento promocional pilotando a McLaren MP4/4, carro de Ayrton Senna e Alain Prost na temporada de 1988 da Fórmula 1. Foi o modelo que deu o primeiro dos três títulos mundiais a Ayrton na Fórmula 1. A exemplo do que fazia o tio, Bruno também exibiu uma bandeira do Brasil enquanto pilotava o carro por Interlagos.

Douglas Magno/AFP
Imagem: Douglas Magno/AFP

Hamilton larga bem; Leclerc ganha terreno

Logo na largada, Verstappen manteve a liderança. Por fora, Hamilton tomou a segunda posição de Vettel, que se manteve em terceiro. Charles Leclerc, que largou em 14º com pneus médios, começou buscando escalar a classificação e entrou na segunda volta em 11º, com Lando Norris (McLaren) e Daniel Ricciardo (Renault) logo atrás. Na quinta volta, o monegasco já era o oitavo colocado - o único dos dez primeiros que não começou com pneus macios.

Na oitava volta, Ricciardo disputava posição com Kevin Magnussen. Os dois se tocaram, o dinamarquês da Haas rodou e tocou a asa dianteira do australiano da Renault. Ricciardo teve que ir para os boxes e voltou em 20º lugar, enquanto Magnussen retornou à pista em 18º. O australiano acabou posteriormente punido com o acréscimo de 5 segundos no tempo final.

Verstappen sofre nos boxes, mas supera Hamilton

Na volta 21, Lewis Hamilton foi para os boxes. Primeiro entre os líderes a parar para trocar pneus, o campeão da temporada 2019 trocou macios por macios, indicando que voltaria para mais uma troca. Retornou à pista em sexto.

Verstappen, por sua vez, entrou nos boxes na volta 22, mas ficou atrás da Williams de Robert Kubica na hora de regressar à pista e acabou em sexto, com Hamilton agora em quinto. "O que c*r*lho ele tentou fazer?", questionou o holandês, sobre o polonês, no rádio. Kubica também tomou 5 segundos.

Neste momento, Vettel era o líder, com Bottas, Albon e Leclerc logo atrás. Com pneus novos, Hamilton e Verstappen não perderam muito tempo atrás do monegasco. Mas veio a surpresa: no começo da 23ª volta, o holandês da Red Bull atrasou a freada na entrada do S do Senna e tomou o quarto lugar de Hamilton. O britânico tentou dar o troco, mas não conseguiu.

Quando Bottas fez sua troca na volta 27, as posições se estabeleceram: Verstappen em primeiro, Hamilton em segundo, Leclerc em terceiro.

Valtteri Bottas abandona e embola a disputa

Na volta 42, Bottas voltou para os boxes e colocou pneus médios para ir até o final, voltando em sexto. Hamilton fez o mesmo na volta 44, caindo de segundo para terceiro.

Verstappen parou na volta 45 e conseguiu voltar em segundo, imediatamente à frente de Hamilton - Vettel era o líder. Embora tenha mostrado um ritmo bom, o finlandês da Mercedes teve problemas de motor e abandonou na volta 53.

Assim, Verstappen e Hamilton seguiram nas duas primeiras posições, com Vettel, Leclerc, Albon e Gasly atrás. A direção de volta determinou a entrada do safety car após o abandono de Bottas, o que garantiu emoção às últimas voltas.

Red Bull brilha, Ferrari naufraga

Já no fim, na volta 55, Verstappen fez sua troca: colocou pneus macios para ir até o final. Com o safety car, o holandês era o segundo colocado atrás de Hamilton, que seguia de médios.

Na relargada para a volta 60, Verstappen deu o bote e tomou a liderança do britânico. Albon superou Vettel e pulou para terceiro. E olha que nem era o pior para o alemão.

Na volta 66, Leclerc passou o companheiro de equipe na abertura da volta. Mas Vettel deu o troco na reta oposto, trouxe para dentro e tocou sua roda traseira esquerda na dianteira direita do monegasco. Resultado: Leclerc teve uma quebra de suspensão, Vettel furou o pneu e os dois abandonaram.

Com um novo safety car, Verstappen se manteve em primeiro, com Albon em segundo. Hamilton passou Gasly e tomou o terceiro lugar, mas tocou Albon e perdeu o segundo lugar para o próprio francês da Toro Rosso. No fim, o holandês venceu, com Gasly em segundo e Hamilton colado em terceiro.

O britânico chegou a ir ao pódio, mas perdeu o terceiro lugar após a prova. Melhor para Carlos Sainz.

Confira o resultado final do Grande Prêmio do Brasil de 2019:

  1. Max Verstappen (HOL/Red Bull): 1h33min14s678
  2. Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso): +6s077
  3. Carlos Sainz (ESP/McLaren): +8s896
  4. Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo): +9s452
  5. Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo): +10s201
  6. Daniel Ricciardo (AUS/Renault): +10s541
  7. Lewis Hamilton (GBR/Mercedes): +11s139
  8. Lando Norris (GBR/McLaren): +11s204
  9. Sergio Perez (MEX/Racing Point): +11s529
  10. Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso): +11s931
  11. Kevin Magnussen (DIN/Haas): +12s732
  12. George Russell (GBR/Williams): + 13s599
  13. Romain Grosejan (FRA/Haas): 14s247
  14. Alexander Albon (TAI/Red Bull): 14s927
  15. Nico Hulkenberg (ALE/Renault): +18s059
  16. Robert Kubica (POL/Williams): + 1 volta
  17. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari): + 6 voltas
  18. Charles Leclerc (MON/Ferrari): + 6 voltas
  19. Lance Stroll (CAN/Racing Point): + 6 voltas
  20. Valtteri Bottas (FIN/Mercedes): não terminou

Esporte