Topo

Megan Rapinoe é eleita Mulher do Ano e dedica discurso a Colin Kaepernick

Getty Images
Imagem: Getty Images
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/11/2019 12h32

Megan Rapinoe aproveitou seu discurso ao receber o prêmio de Mulher do Ano pela revista Glamour norte-americana para elogiar o ativismo do ex-quarterback Colin Kaepernick, conhecido por levantar a bandeira contra a brutalidade policial e a desigualdade social.

A estrela da seleção feminina começou seu discurso agradecendo às pessoas que a ajudaram a chegar ao estrelato e, a partir daí, introduziu o jogador de futebol americano como alguém "cheio de convicção, cuja coragem era tão brilhante e ousada que mostrava que não se trata apenas de jogar com segurança, mas sim fazer o que é necessário".

"Enquanto desfruto de toda essa atenção um pouco desconfortável e desse sucesso pessoal devido ao meu ativismo fora de campo, Colin Kaepernick ainda está banido [da NFL]", disse na ocasião.

Rapinoe, que ajudou a seleção nacional feminina dos EUA a vencer uma segunda Copa do Mundo consecutiva em julho, estava se referindo aos protestos influentes de Kaepernick, nos quais ele se ajoelhou durante o hino nacional nos jogos da NFL como protesto.

"Seria um tapa na cara de Colin e de tantos outros rostos não reconhecer meus privilégios, e para mim, pessoalmente, esse sistema que beneficia alguns está nos separando neste país", continuou. "Eu não vou agir como se minha a cor da minha pele não tivesse nada a ver com tudo isso. Esse é um momento crucial para nós. Temos que seguir em frente e melhorar".

Veja a íntegra do discurso:

Esporte