Topo

Zaga jovem melhora números e diminui preocupação sem Léo e Dedé no Cruzeiro

Cacá e Fabrício Bruno diminuíram a preocupação do torcedor do Cruzeiro após saídas dos veteranos Léo e Dedé - Vinnicius Silva/Cruzeiro
Cacá e Fabrício Bruno diminuíram a preocupação do torcedor do Cruzeiro após saídas dos veteranos Léo e Dedé Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro
do UOL

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

13/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Cacá e Fabrício Bruno deixaram Léo no banco e fizeram torcida "esquecer" lesão de Dedé
  • Zaga jovem das categorias de base atuou junta por quatro partidas e só levou um gol
  • Ao lado do Flamengo, Cruzeiro tem a melhor defesa do returno, com oito gols sofridos

Acostumado a ver Léo e Dedé brilharem na defesa durante os últimos anos, o torcedor do Cruzeiro não está sentindo falta dos veteranos, pelo menos no atual momento do time no Brasileirão. É que os jovens Cacá (20 anos) e Fabrício Bruno (23 anos) estão dando conta do recado. Juntos, os dois estão melhorando os números da equipe celeste, minimizando as ausências dos ídolos e ajudando Abel Braga com uma dor de cabeça a menos para resolver nesta reta final de Brasileirão.

Antes do clássico do último final de semana, contra o Atlético-MG, Abel Braga reconheceu que a experiência de Léo poderia pesar na escolha da sua dupla de defensores. O zagueiro já estava de volta após se recuperar de uma lesão na clavícula, mas se deparou com o bom momento dos jovens na defesa. Mesmo com o jogador de 31 anos à disposição, o treinador acabou optando por Cacá e Fabrício Bruno para protegerem a meta de Fábio.

Apesar do jogo morno, ambos conseguiram se destacar em campo. Cacá, interceptou jogadas e afastou pelo menos duas oportunidades de gol do rival, enquanto Fabrício Bruno chamou menos atenção, mas mostrou a mesma segurança em sua melhor sequência desde que virou profissional, em 2016.

A melhora do Cruzeiro na defesa é nítida se comparada com o primeiro turno, e começou ainda com Rogério Ceni no comando da equipe. A Raposa encerrou a primeira metade do campeonato com a quarta pior defesa do turno, sofrendo 28 gols em 19 jogos. Agora, o time divide com o Flamengo o posto de melhor zaga do returno, com apenas oito gols sofridos em 13 compromissos.

Abel Braga também tem parcela de responsabilidade nessa melhora do Cruzeiro. O técnico viu sua equipe levar apenas seis gols nos onze jogos que fez. Quando Léo e Dedé se lesionaram (este último ainda permanece em recuperação), o técnico precisou recorrer à dupla de garotos.

As conversas do dia a dia reforçaram a confiança de Cacá e Fabrício Bruno, que fizeram quatro jogos juntos e só viram Fábio ser vazado por uma vez. A continuação dessa parceria ainda é incerta, principalmente por causa da tendência de novas decisões pela frente, mas com o moral lá no alto, a prata da casa pode se firmar ainda mais como um dos pilares para tentar evitar um rebaixamento inédito do clube estrelado.

"É a oportunidade que a gente sempre esperou, tanto eu, quanto o Cacá e todos os garotos. Temos que encarar da melhor maneira possível, não queremos ficar marcados com um rebaixamento. Por isso você vê os garotos entrando e se dedicando ao máximo, assim como os mais experientes. A instituição está acima de tudo", comentou Fabrício Bruno

Esporte