Topo

Oposição do SPFC pede reunião extraordinária para Leco explicar déficit

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
do UOL

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 14h15Atualizada em 08/11/2019 19h26

Conselheiros de oposição do São Paulo redigiram uma carta e buscam assinaturas para protocolar o pedido de uma reunião extraordinária. A ideia é que o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, explique o déficit de R$ 77 milhões acumulado neste ano e apontado em relatório da diretoria. Na última segunda-feira, em reunião ordinária, o mandatário e os diretores executivos deixaram o Salão Nobre antes do esperado, após veto ao contrato relativo ao programa de sócio-torcedor.

É necessário que pelo menos 50 integrantes do Conselho Deliberativo assinem a carta para que o pedido possa ser protocolado. Caso o número de adesões seja atingido, o presidente do Conselho, Marcelo Pupo terá 30 dias para marcar uma nova reunião. A expectativa dos opositores é de obter as assinaturas até a metade da próxima semana.

De todo modo, o presidente são-paulino tomou a iniciativa de protocolar um documento entregue ao Conselho Deliberativo no qual declara a intenção de explicar a situação financeira do clube, já na próxima reunião ordinária do órgão.

Como publicou a De Primeira, a maior parte dos integrantes do Conselho Deliberativo do São Paulo não viu com bons olhos a saída precoce dos dirigentes. Marcelo Pupo também ficou constrangido e disse que vai enviar um relatório para Leco para que não se repita tal situação.

Esporte