Topo

Juca: "Jesus está fazendo o óbvio e o futebol brasileiro precisa disso"

do UOL

Do UOL

Em São Paulo

21/10/2019 13h20

O Flamengo lidera o Campeonato Brasileiro com 10 pontos de vantagem para o Palmeiras, decide uma vaga na semifinal da Libertadores na quarta-feira diante do Grêmio e o futebol apresentado anima os torcedores que o comparam com os times da década de 80, com Zico e companhia.

No episódio desta semana no podcast Posse de Bola, os comentaristas apontaram que Jorge Jesus não é um treinador de primeiro escalão do futebol europeu e que o futebol apresentado pelo Flamengo comandado pelo português não é muito diferente do que o futebol brasileiro já apresentou no passado.

"A presença do Jorge Jesus eu acho que é decisiva, embora eu não ache que ele esteja inventando a roda, não seja um gênio, um Guardiola, não é desse patamar. Mas ele está fazendo o óbvio e o futebol brasileiro está precisando de gente que faça o óbvio nesse sentido: jogar o futebol brasileiro", afirmou Juca Kfouri.

"Também você não pode abstrair que o Flamengo tem sete jogadores decisivos. Dois laterais que são decisivos, Rodrigo Caio que é decisivo, Bruno Henrique, Gerson, Everton Ribeiro, o Gabigol. Quem tem esses caras? Mesmo sem poder contar com todos eles nesses últimos jogos, tirando o Athletico-PR que foi tenso, nos outros jogos em nenhum momento passou pela cabeça de alguém que o Flamengo não fosse ganhar o jogo", completou.

Convidado do episódio desta semana, o jornalista Bernardo Ramos comparou o time do Flamengo ao time que foi campeão mundial em 1981 e os que ganharam o Brasileirão em 1983 e 1987. Mas lembrou que Jorge Jesus, assim como Sampaoli, não são técnicos da primeira linha dos que atuam no futebol mundial.

"É impossível dissociar o rendimento do Flamengo da questão dos técnicos brasileiros. O mais preocupante dessa história toda, e aí a gente tem que falar do Jorge Sampaoli também, Sampaoli e Jorge Jesus não são técnicos do primeiro escalão do futebol mundial. Esses caras talvez estejam na segunda ou na terceira prateleira e aqui nadam de braçada", analisou.

O que diferencia o Flamengo aos times comandados por treinadores brasileiros é, segundo Mauro Cezar Pereira, justamente por Jorge Jesus não ter sido forjado no padrão dos treinadores do futebol no Brasil.

"O Flamengo tem um elenco de bons e ótimos jogadores e um técnico com uma outra visão do futebol, um técnico que não é brasileiro e que não foi forjado em meio aos retranqueiros, aos conservadores e aos adpetos do mais do mesmo que dominam o futebol brasileiro há algum tempo, salvo raras exceções", afirma Mauro.

"É um time que joga para ganhar, não entra em campo pensando em administrar resultado, fazer 1 a 0 e segurar a vantagem, o Flamengo sabe que tem potencial para mais do que isso e busca mais do que isso. Só essa iniciativa já faz do Flamengo um time diferente do padrão que impera no futebol brasileiro, já é o bastante para que o Flamengo seja visto como um time diferente", completa o jornalista.

Posse de Bola: quando e onde ouvir

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). O Posse de Bola está disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts e no Google Podcasts . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Esporte