Topo

Após mais um gol anulado, Inter voltará à CBF para ouvir áudios do VAR

do UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/10/2019 19h43

O Internacional voltará à CBF para ouvir áudios do VAR. Depois de ter mais um gol anulado, na derrota para o Vasco por 1 a 0, hoje, pela 27ª rodada do Brasileiro, o diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano falou que a busca será por entender o critério estabelecido.

"A questão do VAR tem que ser rediscutida. Vou puxar o jogo da semana passada. Eu falei com o árbitro e ele me disse que a orientação deles é que sejam chamados em erros grotescos. Por isso o árbitro, futuro Fifa, Bruno Arleo, não chamou no lance do Patrick. Hoje da mesma forma, fui falar com eles. Ele disse que foi chamado pelo VAR porque deveria revisar o lance do Cuesta. Lance que nós tivemos a informação de que antes de trombar, o Cuesta foi tocado. Isso não foi revisado", disse Caetano.

A reclamação se refere ao gol anulado de D'Alessandro. No lance, Cuesta tromba com defensores do Vasco num cruzamento que é afastado. D'Ale pega o rebote e faz um lindo gol. O jogo foi parado e após alguns minutos e revisão o gol foi anulado. O lance desestabilizou totalmente o time do Inter, que no começo do segundo tempo sofreu o gol que definiu o placar.

"Nós temos que ser colaborativos. Mas já tivemos erros que nos custaram oito ou nove pontos por lances de interpretação. Só queremos um critério. Por que contra o Cruzeiro o árbitro foi chamado? Não foi contra o Santos, não foi contra o Flamengo, hoje foi chamado. Se soma e vê o quanto isso modifica na trajetória de um clube no Brasileiro, que é muito apertado. Vamos seguir e buscar os áudios, e se possível também as imagens", completou o executivo de futebol gaúcho.

O gol anulado contra o Vasco foi o terceiro nos últimos dois jogos em casa. Contra o Santos, duas vezes o gol foi anulado após participação do árbitro de vídeo. O protocolo repete o ocorrido contra a Chapecoense, duas vezes, também no Beira-Rio.

"É um lance que, no nosso entendimento, houve uma disputa normal. Anular este gol é lamentável. Muitos dos defensores não vão para a disputa já acusando a carga, os atacantes também, para justamente que seja marcado uma infração a seu favor. A área não pode ser povoada de lances simulados. Isso é lamentável. Não só nos jogos do Inter, a sequência mostra. Temos que conscientizar não só o VAR, mas os atletas. Vamos novamente à CBF, pedir para ouvir os áudios e ver as imagens", completou.

Com a derrota, o Inter pode perder posto no G6 do Brasileiro. Na próxima rodada encara o Bahia, fora de casa.

Esporte