Topo

G. Henrique esquece novela contratual para se tornar decisivo no Santos

Gustavo Henrique comemora gol da vitória do Santos sobre o Ceará na Vila Belmiro - Fernanda Luz/AGIF
Gustavo Henrique comemora gol da vitória do Santos sobre o Ceará na Vila Belmiro Imagem: Fernanda Luz/AGIF
do UOL

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

18/10/2019 04h00

O zagueiro Gustavo Henrique vive talvez a melhor fase de sua carreira no Santos. O defensor decidiu mais uma partida para o Peixe, marcando o gol da virada sobre o Ceará na noite de ontem. Foi o quinto gol dele na temporada, a mais artilheira desde que subiu ao profissional.

Curiosamente, o vice-capitão santista vive o melhor momento justamente em meio à novela pela renovação contratual, que neste momento parece distante. Após coletiva no início da semana, Gustavo não garantiu a permanência no Peixe e, nas redes sociais, foi chamado de "ingrato" por parte da torcida.

O camisa 6 está no profissional do Santos desde 2011. São oito temporadas com a camisa alvinegra, a única que vestiu na carreira. O Menino da Vila é quem por mais tempo, de forma ininterrupta, ficou no clube neste século. São 212 jogos pelo Peixe, figurando no top 20 dos beques que mais atuaram pelo time na história centenária.

As 45 partidas que participou neste ano, sendo o zagueiro que mais atuou na temporada, perdem apenas para as 46 de 2016, e ainda tem muito campeonato pela frente.

Além do gol de ontem, ele marcou no clássico contra o Palmeiras, no Brasileiro, na eliminação da Copa do Brasil contra o Atlético-MG e também na semifinal do Paulista, para levar a decisão contra o Corinthians para os pênaltis. Também fez um na goleada por 6 a 1 contra o Goiás.

Durante a semana, Paulo Autuori, superintendente de futebol do Peixe, fez duras críticas à diretoria pela demora na renovação do zagueiro. O Santos demorou a procurar o defensor para iniciar as tratativas de renovação e, sem sucesso, permitiu que o zagueiro ficasse a menos de seis meses o fim do vínculo, que se encerra em 31 de janeiro de 2020. Agora, ele já pode assinar um pré-contrato e sair de graça do clube. Sampaoli também criticou o processo.

"Sobre o Gustavo Henrique ele demonstra crescimento enorme e clube não tomou decisões a tempo. Permitiu que um jogador que cresceu muito possa ser livre. É lamentável perder um patrimônio. Eu cuido do esportivo, ele é nosso e vamos aproveitar até onde esteja. Que disputem com outros clubes a possibilidade de ele ficar", disse o técnico na entrevista coletiva após o jogo de ontem.

O zagueiro recebe cerca de um terço do maior salário do clube hoje, que pertence ao atacante Uribe e ultrapassa os 500 mil reais. Gustavo espera por uma valorização, mas já disse que a oferta do Santos não se compara aos valores de outros mercados que já o procuraram. O defensor manteve as opções em aberto e a decisão dificilmente sairá em curto espaço de tempo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Esporte