Topo

Mano diz que Palmeiras merecia placar elástico e dá "meio gol" a Weverton

do UOL

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

17/10/2019 00h14

O técnico Mano Menezes elogiou a postura do Palmeiras na vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, hoje, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro, com gol de Felipe Melo aos 54 minutos do segundo tempo. O treinador afirmou que a equipe jogou bem no segundo tempo, que merecia ter construído um placar elástico e que "meio gol" foi graças a uma defesa de Weverton nos acréscimos.

"Nosso gol, na verdade, iniciou com uma defesa espetacular do Weverton. Meio gol começou lá. Ele defendeu e ainda evitou o lateral, dando a chance de acelerarmos o ataque. Fomos premiados no final pela insistência e entrega", disse Mano, citando defesa cara a cara do goleiro alviverde em chute de Régis.

"Jogos como esse serão jogados no segundo turno. Quando demorarmos para iniciar a vitória, eles também podem se tornar dramáticos. Mas também vamos aprendendo como resolver problemas, é importante para a equipe amadurecer. Para nós, como comissão técnica, encontrando soluções para a equipe jogar de forma diferente em determinados momentos, como fizemos hoje", completou.

Mano afirmou que o Palmeiras já esperava que a Chape escalasse três zagueiros, mas mesmo assim o time teve muitas dificuldades para criar chances no primeiro tempo. Já na segunda etapa, especialmente após a expulsão de Gum, o Verdão pressionou e teve várias oportunidades claras, mas perdeu gols inacreditáveis em chances de Willian, Deyverson, Gustavo Gómez e até o próprio Felipe Melo.

"Se a Chape jogasse com três zagueiros contra os outros, talvez também seria difícil para os outros. Mas contra a gente o pessoal têm vindo mais fechadinho, esperando atrás, que é um direito que eles têm. Estou citando a diferença dos jogos que vinham fazendo. Penso que demorou, na primeira parte do jogo, porque não soubemos entender a maneira certa de atacar uma linha de cinco. Começamos a precipitar um pouco, erramos as bolas, o time e torcida começam a ficar intranquilos. Aí as coisas começam a ficar mais difíceis", avaliou.

"No segundo tempo, a equipe jogou bem, merecia ter feito um placar mais elástico. Atacamos pela direita, esquerda, criamos jogadas por dentro, chutamos de fora, cabeceamos, criamos um número grande de oportunidades, mas a bola não entrada. Foi isso que tornou o jogo muito dramático".

Esporte