Topo

Lampard se opõe a aumento do número de jogos em projeto de reforma da Champions

17/10/2019 21h29

Londres, 18 Out 2019 (AFP) - O técnico do Chelsea, Frank Lampard, tomou partido nesta quinta-feira contra o projeto de reforma da Liga dos Campeões proposto em maio pela Uefa, porque essa espécie de liga fechada aumentaria o número de jogos.

"Como treinador, sempre pensamos em ter os jogadores em forma", explicou durante uma reunião em Londres diante de representantes dos clubes, das ligas profissionais, de associações de jogadores, reunidos por iniciativa da Associação de Ligas Europeias (European Leagues), que se opõe ao projeto.

"Se vocês me perguntarem 'dá para jogar mais partidas europeias?', pessoalmente, eu não vejo onde vamos colocá-las em nosso calendário já carregado. Eu acharia complicado manter o mesmo nível de qualidade e de frescor nos jogadores", afirmou.

O ex-capitão do Chelsea, time com o qual conquistou a Liga dos Campeões, acrescentou que "como jogador, pessoalmente, eu gosto do formato atual e ainda hoje em dia como treinador".

O projeto idealizado pela Associação Europeia de Clubes (ECA), que junta os clubes mais ricos, e apresentado pela Uefa na última primavera europeia, provocou a animosidade de muitos clubes que poderiam ficar sem chances de participar da principal competição europeia.

Os 320 participantes representando especialmente 201 clubes de 34 países e 39 ligas, insistiram que o futebol "permaneça como o ponto de partida" de toda reflexão sobre uma reforma, "e não a distribuição da receita".

hap/clv/iga/aam

ECA

Esporte