Topo

Em boa fase, Fluminense reencontra Athletico-PR para afastar "fantasmas"

Paulo Henrique Ganso volta ao Fluminense contra o Athletico - LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
Paulo Henrique Ganso volta ao Fluminense contra o Athletico Imagem: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
do UOL

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

17/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Tricolor não perdeu nos últimos cinco jogos pelo Campeonato Brasileiro
  • Furacão é adversário marcante do Flu desde briga nas Laranjeiras em 1996
  • Ídolos do Fluminense, Assis e Washington também passaram pelo Athletico-PR
  • Encontros em mata-mata acentuaram rivalidade, com duas vitórias para cada lado
  • Marcão terá retornos de Ganso, Allan e Caio Henrique ao time titular

O Fluminense vive bom momento no Campeonato Brasileiro: são cinco jogos sem perder, quatro de invencibilidade sob o comando de Marcão e três sem sofrer gols na competição. Quando entrar em campo hoje (17), às 21h, no Maracanã, o Tricolor encontrará adversário bem conhecido: o Athletico-PR. Além da zona de rebaixamento, o Flu quer também afastar o "fantasma" dos últimos confrontos contra o Furacão.

Já são quatro jogos sem vencer os paranaenses, equipe com a qual o Tricolor tem certa rivalidade, iniciada em uma briga no estádio das Laranjeiras em 1996. O goleiro Ricardo Pinto, cria das divisões de base do Fluminense, provocou a torcida após a vitória e gerou grande confusão.

A partida terminou em pancadaria e com o time carioca na zona de rebaixamento. O Flu terminaria rebaixado, mas um escândalo de arbitragem conhecido como "Caso Ivens Mendes", que curiosamente envolveu o Furacão, além do Corinthians, fez a CBF cancelar o descenso. O Bragantino, lanterna, também não jogou a Série B em 1997.

Antes disso, os dois clubes também possuíam outra ligação: foi no Athletico-PR que Assis e Washington se destacaram em 1983. A dupla foi contratada pelo Fluminense no ano seguinte, ficou conhecida como Casal 20 e se eternizou na história do Tricolor com o título do Campeonato Brasileiro de 1984 e o tricampeonato estadual de 1983, 1984 e 1985.

Os confrontos em mata-mata também aumentaram a rivalidade entre as duas equipes. Em 2001, na campanha do título do Brasileirão, o Furacão eliminou o Tricolor nas semifinais com requintes de crueldade. Alex Mineiro marcou três vezes, a última aos 44 do segundo tempo. A "forra" só veio em 2007, quando o Flu eliminou o Athletico-PR na Arena da Baixada antes de vencer a Copa do Brasil pela primeira vez. Foi de Adriano Magrão, herói daquela conquista, o gol da classificação.

Em 2016, o Fluminense mais uma vez se deu bem e foi campeão da Primeira Liga sobre os paranaenses, com gol de Marcos Júnior, no estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora. O Athletico-PR voltaria a ser campeão na Copa Sul-Americana do ano passado, batendo o Tricolor com autoridade nas semifinais antes de conquistar seu primeiro título internacional.

Por isso, além dos três pontos, o confronto desta noite tem sabor especial para o Flu. Nos últimos quatro jogos, o Furacão venceu todos, incluindo a eliminação na competição continental. Para derrotar o rival e continuar subindo na tabela do Brasileirão em sequência invicta, a equipe de Marcão precisa afastar os fantasmas das últimas partidas.

Para o jogo, o treinador terá o retorno de Ganso, que cumpriu suspensão na vitória sobre o Bahia, além de Allan e Caio Henrique, que estavam com a seleção olímpica. Todos serão titulares. Yuri, que também estava suspenso, e Marcos Paulo, que disputou amistosos com a seleção sub-19 de Portugal, devem ser opções no banco de reservas.

FLUMINENSE X ATHLETICO-PR

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17 de outubro de 2019
Horário: às 21h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Neuza Inês Back (SP) e Thiago Americano Labbes (SC)
VAR: Igor Junio Benevenuto (MG)

Fluminense: Muriel, Gilberto, Nino, Frazan e Caio Henrique; Allan, Daniel e Ganso; Nenê, Yony González e João Pedro. Técnico: Marcão.

Athletico-PR: Santos; Madson, Leo Pereira, Erick e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Rony, Thonny Anderson e Marcelo Cirino. Técnico: Tiago Nunes.

Esporte