Topo

Diniz vê justiça em vitória são-paulina: "Ninguém tem limite para melhorar"

do UOL

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

13/10/2019 21h05

O São Paulo dominou a posse de bola e venceu o Corinthians por 1 a 0, no Morumbi, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico corintiano, Fábio Carille, foi sincero em suas declarações após o jogo e disse que "ganhou o melhor". Fernando Diniz, à frente do Tricolor apenas pela quarta vez (a primeira na casa do clube), concorda com a visão. E mais: vê o time assimilar cada vez mais sua ideia.

"No primeiro tempo tínhamos que tomar cuidado com contra-ataques, é um ponto forte deles, então nessa tentativa de se preservar muito arriscamos menos do que deveria. Fizemos ajustes no vestiário e o time veio mais agressivo com a posse, como tínhamos treinado, com condição de atacar a primeira linha deles e explorar os lados. A marcação foi mais agressiva e procuramos retomar a bola o quanto antes. O São Paulo de fato mereceu a vitória", relatou o treinador, antes de filosofar sobre as ambições tricolores na competição.

"O caminho sempre é longo e nunca termina. Temos que fazer o melhor e os jogadores tentam atingir seu limite máximo. Um jogo simbólico foi contra o Flamengo, praticamente não treinamos e os jogadores mostraram que têm muito recurso, capacidade grande de enfrentar desafios. Ninguém tem limite para melhorar e o futebol se confunde com minha própria vida."

Fernando Diniz agradeceu ao apoio de mais de 37 mil torcedores do São Paulo que compareceram ao Morumbi hoje à noite. Foi sua estreia como técnico do clube no estádio.

Diante de críticas da opinião pública ao desempenho do rival do São Paulo no Morumbi, o treinador preferiu elogiar o rendimento de seu time: "O trabalho do Fábio é excelente, um cara multicampeão. Temos que valorizar o que o São Paulo fez. O resultado podia ter sido pelo menos 2 a 0 pelo que fizemos. Não sofremos, soubemos controlar. Nós com a posse, evitando passes deles, evitando bola parada, que é o forte deles. Podíamos ter saído com placar um pouco maior, mas é um adversário sempre difícil de se bater (...) Quando você ganha os comentários são efusivos, quando perde também. O Fábio tem um trabalho forte, consolidado, com conquistas. Ganhou a equipe que conseguiu se impor não só pelo modelo de jogo, mas por ter jogadores que se entregaram de maneira forte para vencer. A parte tática é subproduto de algo principal, que são as relações estabelecidas entre os elementos. Convivência é forte no São Paulo e isso tende a render bons frutos."

"O São Paulo tem que pensar sempre no melhor, trabalhar treino a treino, jogo a jogo, mas vai entrar sempre para vencer. Postura sempre agressiva, de encarar adversários de peito aberto. Tende a evoluir em termos de qualidade de jogo e pontuação no campeonato", completou o técnico do São Paulo.

Esporte