Topo

Santos devolve 'goleada moral', engole Palmeiras e faz as pazes com torcida

Jogadores do Santos comemoram gol de Marinho contra o Palmeiras - Fernanda Luz/AGIF
Jogadores do Santos comemoram gol de Marinho contra o Palmeiras Imagem: Fernanda Luz/AGIF
do UOL

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

10/10/2019 03h30

O Santos bateu o Palmeiras por 2 a 0 dentro da Vila Belmiro na noite de ontem, mas o placar ficou até barato pela atuação dos dois times em mais um clássico do Campeonato Brasileiro. O alvinegro dominou amplamente as ações do jogo e poderia tranquilamente ter devolvido a goleada de 4 a 0 sofrida no primeiro turno e derrubou o rival para assumir a vice-liderança.

O torcedor, que vinha um tanto insatisfeito com o time nas últimas rodadas, fez as pazes com a equipe e comemorou a volta do bom futebol. Apesar de não ter devolvido o placar do primeiro turno, o santista saiu com a sensação de que conseguiu se vingar.

"Caldeirão de cinco mil" incomoda Felipe Melo

O volante do Palmeiras foi perseguido a noite toda pela torcida santista e não conseguiu ficar alheio. Da arquibancada, os santistas gritaram que "Felipe Melo afundou a Seleção". Na saída para o intervalo, o volante fez gesto obsceno para o torcedor já dentro do túnel. Ao fim do jogo, se irritou com os gritos de olé do torcedor. Curiosamente, em um clássico anterior na Vila, Felipe Melo provocou dizendo que a Vila era um "caldeirão de cinco mil pessoas".

Torcedor faz as pazes até com criticados

A atuação do Peixe no clássico foi tão boa que fez o torcedor santista fazer as pazes até mesmo com os atletas mais criticados, os alvos preferidos de vaias da arquibancada, como o meia Jean Mota e o lateral-direito Pará. Jean atuou na faixa central do campo e foi bem na armação de jogadas. Pará entrou na vaga de Ferraz e tomou conta do setor direito da defesa.

Jobson vive noite de 'Barrichello'

"Hoje sim, hoje sim... Hoje não". O volante Jobson está há seis meses no Santos após se destacar no Paulistão pelo Red Bull Brasil e ser contratado, mas nunca estreou. Hoje, ao final do jogo, Sampaoli chamou o jogador que iria finamente entrar em campo. O quarto árbitro já tinha preparado a placa, e Jobson estava pronto para estrear quando o juiz apitou o fim da partida antes de o volante entrar.

O que vem por aí

Após vencer o Palmeiras e assumir a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, o Santos viaja até Porto Alegre (RS) para enfrentar o Internacional, no domingo, às 16h, no Beira-Rio, pela 25ª rodada. O técnico Jorge Sampaoli seguirá sem poder contar com Soteldo, Derlis González, Cueva e Felipe Jonatan, convocados para suas seleções, além de Kaio Jorge e Sandry, com a Seleção Sub-17, e Sánchez, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O meia Evandro volta a ficar à disposição.

Mais Esporte