Topo

Protestos e confusões se repetem no Mineirão após novo tropeço do Cruzeiro

do UOL

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

10/10/2019 04h00

Nos empates do Cruzeiro contra o Internacional, no último sábado, e diante do Fluminense, por 0 a 0, na noite de ontem (9), um cenário bastante desagradável se repetiu no Mineirão. O abatimento e desespero dos jogadores em campo se transformou em revolta, protestos e confusões envolvendo torcedores na saída do estádio.

Embora tenham manifestado apoio na maior parte do jogo, alguns torcedores aproveitaram momentos que a partida estava paralisada para dar voz ao descontentamento com a diretoria do Cruzeiro e determinados jogadores. Após os 90 minutos, os ânimos se exaltaram. As primeiras discussões entre cruzeirenses foram vistas ainda nas arquibancadas, se estendendo também para os caminhos que levavam à saída do estádio. No estacionamento, novos focos de brigas aconteceram.

Alguns torcedores levaram uma faixa com a mensagem "Fora Wagner! O Cruzeiro é do povo", exigindo o desligamento do presidente Wagner Pires de Sá. Outros permaneceram na saída dos camarotes e aguardaram a passagem de conselheiros aliados da diretoria para iniciarem os xingamentos. Profissionais de segurança da Minas Arena, administradora do Mineirão, precisaram intervir para apaziguar a confusão e dissipar os torcedores. No caminho para o ônibus da delegação, jogadores também não escaparam dos xingamentos e acabaram hostilizados. Atletas como Sassá e Egídio, ambos titulares no jogo contra o Flu, foram estavam entre os alvos da torcida.

Situação delicada no Brasileiro

Sem vencer nos últimos sete jogos do Brasileirão, sendo os três últimos sob comando de Abel Braga, o Cruzeiro segue vivendo seu pesadelo. Lutando para não cair, as vitórias contra Internacional e Fluminense eram tratadas como obrigação, mas o time só conseguiu somar dois pontos dos seis disputados diante do seu torcedor. Com apenas 21 pontos, a Raposa estacionou no 18º lugar, agora a quatro pontos do CSA, primeiro integrante fora do Z-4. Na próxima rodada, o time mineiro irá para Santa Catarina enfrentar a Chapecoense, lanterna da competição.

"Sei que está sendo difícil. Mas não vamos nos entregar. Não pense você que vim para cá preocupado com a situação do Cruzeiro. Eu vim sabendo. Estou passando por uma experiência única. Eu não pego nada no meio, peguei porque confio nos atletas, confio na torcida. Ninguém acredita, ninguém está acreditando. Mas nós não vamos deixar de acreditar, não tenham dúvidas disso", disse o técnico Abel Braga.

Mais Esporte