Topo

Brasileirão só tem quatro times que não mudaram de técnico em 2019

Persio Ciulla | Divulgação TXT Sports
Imagem: Persio Ciulla | Divulgação TXT Sports
do UOL

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

10/10/2019 20h08

A demissão de Odair Hellmann interrompeu um dos trabalhos mais longevos entre os 20 times que disputam o Campeonato Brasileiro. O fim da passagem do técnico pelo Internacional também reforça o ano movimentado no mercado de treinadores. De todas as equipes, apenas quatro seguem com o mesmo nome desde janeiro.

Apenas Athletico (Tiago Nunes), Corinthians (Fábio Carille), Grêmio (Renato Gáucho) e Santos (Jorge Sampaoli) permanecem desde janeiro com os mesmos comandantes. Odair Hellmann, demitido hoje (10), deixou o cargo um ano e dez meses depois de assumir o clube colorado.

Somente no Brasileirão 16 times demitiram, contrataram, recontrataram ou promoveram interinos ao posto de treinador. O Cruzeiro, que vive grave crise institucional e briga para evitar o rebaixamento à Série B, já contou com três técnicos na competição. O Fluminense, também na parte baixa da tabela, é outra equipe a ter três comandantes efetivos até aqui.

O time mineiro iniciou a temporada com Mano Menezes, depois apostou em Rogério Ceni, que, após desentendimentos com o grupo de atletas, acabou demitido e substituído por Abel Braga. Já os cariocas contaram com Fernando Diniz e Oswaldo de Oliveira; atualmente, Marcão acabou efetivado.

Rogério Ceni deixou o Cruzeiro com pouco tempo de trabalho e já retornou ao Fortaleza - Fernando Moreno/AGIF
Rogério Ceni deixou o Cruzeiro com pouco tempo de trabalho e já retornou ao Fortaleza
Imagem: Fernando Moreno/AGIF

As trocas de treinadores cresceram justamente quando os treinadores contaram com um período de trabalho maior para fazer ajustes. Pós-Copa América, CSA (Marcelo Cabo), Ney Franco (Chapecoense), Claudinei de Oliveira (Goiás), Palmeiras (Felipão), São Paulo (Cuca), Fortaleza (Zé Ricardo) e Cruzeiro (Rogério Ceni) trocaram de treinadores.

Somente neste mês, três saíram, Enderson Moreira (Ceará), Odair (Inter) e Eduardo Barroca (Botafogo) perderam o emprego em outubro.

Quem permaneceu apresenta (ou apresentou) resultados. Tiago Nunes venceu a Copa do Brasil e mantém o Athletico na briga por uma boa posição na classificação, mesmo com vaga já garantida na próxima Copa Libertadores da América. Fábio Carille, já prestigiado por um 2017 vitorioso, ganhou o Campeonato Paulista e também sustenta o Corinthians na parte de cima da tabela, apesar das críticas ao futebol apresentado.

Renato Gaúcho, pelo terceiro ano consecutivo, mantém o Grêmio como um dos melhores times do país. O clube gaúcho é semifinalista da Copa Libertadores, competição que venceu sob o comando de Portaluppi em 2017. Já Sampaoli segura o Santos no G-4 desde o início e, assim como o gremista, é elogiado pelo estilo de futebol do time.

Mais Esporte