Topo

"Inacreditável": atletas do Cruzeiro reagem com choro e revolta após empate

do UOL

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

09/10/2019 23h49

O Cruzeiro entrou em campo para o confronto direto contra o Fluminense, mas não conseguiu sair de campo com a vitória e ficou apenas no empate de 0 a 0, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a partida, uma mistura de sentimentos foi notada no semblante de jogadores e torcedores. Dentro das quatro linhas, jogadores olhavam para o vazio, outros cobravam da arbitragem. Teve até quem saiu de campo chorando, como o zagueiro Fabrício Bruno.

"Inacreditável, não sei o que falar, a vontade de chorar, não tem explicação", comentou o meia Robinho. O clube mineiro segue na zona de rebaixamento, agora quatro pontos abaixo do primeiro time que respira relativamente aliviado: o emergente CSA, em 16º.

O volante e capitão Henrique preferiu externar indignação com a arbitragem, que anulou um gol de Fred por causa de uma falta de Robinho na construção da jogada.

"Eu fui falar com ele (árbitro) sobre a interpretação que ele teve na falta. Totalmente errada, o Robinho está caindo, não teve a intenção de fazer a falta. Eles (árbitros de vídeo) têm que saber interpretar jogo. Olhar como que foi o lance, se teve intenção, como foi o toque, não pode chamar o árbitro toda hora para anular o gol e fazer a marcação.", disse o meio-campista.

Com mais um empate em casa, o Cruzeiro vai aos 21 pontos e estaciona no 18º lugar. Agora, a diferença para o primeiro clube fora da zona de rebaixamento aumentou de três para quatro pontos. Na próxima rodada, outro confronto direto, desta vez contra a Chapecoense, em Santa Catarina.

"A gente não pode ficar lamentando, a pressão existe para ser resolvida em campo. Enquanto tiver jogos, teremos que lutar pelo torcedor, por essa camisa. Fé em Deus que vamos melhorar", falou o goleiro Fábio.

Mais Esporte