Topo

Casal cruzeirense sofre homofobia, mas exalta amor com vídeo no Mineirão

do UOL

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

11/09/2019 18h04

Warley sorriu e comemorou na terceira vez em que foi a um jogo do Cruzeiro, mas por pouco não formou um trauma. No domingo retrasado (1), o torcedor foi filmado abraçando o namorado, Yuri, durante a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco, no Mineirão. Desde então, o casal recebeu incontáveis ofensas e ameaças homofóbicas por estas imagens, mas tenta motivar uma campanha contra o preconceito e faz questão de transformar a luta em amor.

"Ontem usaram esse vídeo para propagar homofobia, hoje eu uso para dizer o quanto eu te amo. Warley, você é o cara que chegou na minha vida para afirmar o quanto o amor vale a pena, e o quanto faz bem. Obrigado por ser o melhor namorado que eu poderia ter, o melhor amigo, cúmplice das melhores zoeiras. Te amo muito", escreveu Yuri no Twitter.

Apaixonado pelo Cruzeiro, ele fez questão de ironizar o fato de que o vídeo ganhou um papel que os homofóbicos não esperavam que tivesse. "Obrigado ao homofóbico que gravou esse vídeo, agora ele é uma declaração de amor eterna", completou. A história começou há mais de uma semana, mas se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter hoje (11).

Os dois namoram oficialmente há dois meses, mas estão juntos desde abril deste ano. Ontem (10), eles compareceram a uma delegacia especializada em crimes virtuais para registrar um Boletim de Ocorrência; na quinta-feira passada (5), Yuri teve uma reunião promissora com dirigentes ligados ao Mineirão. Ele busca uma campanha que possa tornar o futebol mais acolhedor e, por isso, deixou o medo de lado e aceitou contar sua história ao UOL.

Afinal, além das declarações que fazem um ao outro, é importante ressaltar que o Cruzeiro também é um grande amor do casal. "Queremos que dê para ir ao estádio sem passar por isso de novo. Poder torcer para o time que a gente ama sem se preocupar. Curtir o jogo como qualquer casal normal, sem ter medo de voltar para casa... Sem medo no geral", disse Warley à reportagem.

Os dois não receberam novas atualizações sobre o que foi conversado na reunião, mas torcem para que os dirigentes tenham aproveitado os últimos dias para discutir internamente sobre um eventual primeiro passo. O perfil oficial do estádio no Twitter respondeu ao post de Yuri na mesma rede social com uma mensagem curta, mas direta: "O Mineirão é de TODOS!".

As imagens foram gravadas por terceiros no camarote do Mineirão, de onde eles viram o jogo contra o Vasco, e espalhadas sem o consentimento do casal (o UOL obteve permissão para usá-las). Vale destacar que Warley já havia ido a outras duas partidas no estádio com o namorado, mas no setor destinado a torcidas organizadas. Nas duas ocasiões, não foram ofendidos.

Na noite da vitória sobre o Vasco, Yuri e Warley foram embora do estádio normalmente e não souberam de imediato o que estava acontecendo. Dois dias depois, na terça-feira (3), receberam alertas simultâneos de oito amigos que viram o vídeo se espalhando pelo WhatsApp com mensagens preconceituosas de parte da torcida do Cruzeiro e do Atlético-MG.

"A princípio, nós só abrimos essas mensagens de alerta dos amigos. Só depois vimos as ameaças e mensagens de ódio. Quando esses amigos avisaram, a gente ficou muito mal. A gente estava junto, mas nenhum dos dois conseguiu conversar com o outro sobre o que estava acontecendo. Fomos embora sem se falar direito. Ficamos em estado de choque e com medo", relatou Warley.

Em meio à homofobia - que, agora, é oficialmente tratada como crime pela legislação brasileira -, o casal recebe mensagens de carinho e acolhimento. O mesmo vídeo que foi inicialmente espalhado em tom preconceituoso já ganhou mais de 50 mil curtidas no Twitter de Yuri. Uma das respostas diz o seguinte: "Sejam muito felizes, por favor".

"Não vou deixar que qualquer tipo de pessoa tire o quão incrível foi esse dia para nós. Te amo!", publicou Warley, junto a uma foto em que segura a mão de Yuri e exibe as alianças.

Torcedores rivais também têm aproveitado para manifestar apoio ao casal e à comunidade LGBT. "Oh, Zé, sabe o que é feio? Torcer para o Cruzeiro kkkkk. Viva o amor", publicou um fanático pelo Atlético-MG. Outro internauta desejou felicidade aos dois e lamentou pelo fato de que sua namorada não torce pelo mesmo time que ele: "Aproveita que você tem sorte demais".

Mais Esporte