Topo

Ex-Barcelona, Arda Turan é condenado à prisão na Turquia

Ozan Kose/AFP
Imagem: Ozan Kose/AFP
do UOL

Do UOL*, em São Paulo

11/09/2019 10h34

O jogador de futebol turco Arda Turan foi condenado a dois anos e oito meses de prisão. O ex-jogador de Barcelona e Atlético de Madri, ambos da Espanha, não terá que ficar preso, segundo a decisão da Justiça da Turquia, a não ser que cometa outro crime nos próximos cinco anos.

O atleta do Basaksehir, de Istambul, foi processado por agredir um cantor em uma boate. Ele foi acusado de "assédio sexual", "lesões propositais com fratura de osso", "disparos com arma de fogo de modo que pode produzir medo ou pânico" e de portar armas sem licença.

Em outubro de 2018, o jogador se aproximou da esposa do cantor Berkay Sahin, Özlem Ada Sahin, com uma atitude de assédio em uma discoteca na cidade turca. Turan quebrou o nariz do cantor, motivo pelo qual Berkay Sahin e a esposa foram a um hospital próximo. O jogador apareceu no hospital mais tarde, aparentemente para pedir desculpas a Sahin, ofereceu uma pistola ao cantor e afirmou: "Atire em mim se quiser."

O cantor pegou a arma, mas, após uma conversa, Turan tomou a pistola e atirou em direção ao chão, causando um tumulto no hospital. Ninguém ficou ferido.

O tribunal absolveu o jogador do crime de assédio, mas não sobre as agressões.

O Basaksehir, clube em que Turan joga atualmente, multou o atleta em 370 mil euros no ano passado por "atitudes não compatíveis com a ética e o conceito profissional do clube".

(Com EFE)

Arda Turan empurra árbitro assistente na Turquia

UOL Esporte

Mais Esporte