Topo

Muricy critica Neymar por viagem durante negociação: "Vai ter de se provar"

Lintao Zhang/Getty Images
Imagem: Lintao Zhang/Getty Images
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/08/2019 18h17

A viagem de Neymar a Portugal foi assunto no "Seleção SporTV" de hoje (14). Muricy Ramalho criticou o fato de que o craque chegou a deixar Paris durante as negociações que podem definir sua saída do PSG nesta janela de transferências. O comentarista, que chegou a treinar o atacante nos tempos de Santos, crê que ele terá de dar uma resposta em campo.

"Ele está em uma negociação com Barcelona, com Real Madrid, sei lá, uma negociação pesada. E ele foi para Portugal, foi para um show, pô! O Neymar vai me desculpar, eu o adoro, o cara é fora de série, o melhor jogador que eu dirigi na vida, mas ele tem de estar concentrado. Isso não é bom para a carreira dele, mas eu não sei se alguém fala isso. É hora de ficar quietinho, dar um tempo. Se ele for para o Barcelona, será um desafio de novo. Eles não gostaram da saída dele.", disse Muricy.

"Ele deveria estar se preparando, escondido. Falta na vida do Neymar alguém para dizer: 'Dá um tempo'. Tem hora para tudo, e agora é hora de se preparar para esse desafio porque o mundo todo está contra ele! Sai de cena e se prepara, porque vai ter de se provar quando chegar lá. Esse negócio de que não tem de provar nada é mentira. Não tem esse negócio de 'ah, eu já fiz'. Se já fez, então fica em casa", desabafou o ex-técnico, que venceu a Libertadores com Neymar em 2011.

Muricy acredita que Neymar passou a se colocar como elemento mais importante do que o próprio PSG, e, para ele, este é um problema na relação entre atleta e clube. "Não dá para o jogador ficar maior que o clube. No Barcelona, isso não acontecia. Lá [em Paris], ele ficou maior do que o clube e faz o que quer. Eu gosto muito do Neymar, mas tem coisas que não dá para concordar. Não dá, por exemplo, para ele estar machucado, de muletas, e vir para o Carnaval", criticou.

"Se você é o presidente ou dono do clube, vai dizer: 'Pera aí, amigo, você tem um compromisso'. Ele é um jogador diferente, um dos melhores do mundo. Ele ficou muito maior do que o PSG, e o jogador, quando faz isso, não está certo. Agora vem essa relação, que já é conturbada. Já virou briga, ele não quer jogar mais lá, e o cara [Nasser Al-Khelaifi, presidente do PSG] está engrossando a saída dele. Porque dinheiro para aquele cara não é problema, né", opinou Muricy.

reprodução/SporTV
Imagem: reprodução/SporTV

O comentarista quer ver Neymar no Barça. "Agora é a hora de ele se preparar para o próximo desafio, e todos nós vamos torcer muito para ele voltar para o Barcelona. Eu tenho certeza de que ele vai arrebentar lá, porque adora Barcelona. Ele não gosta de Paris, isso eu sei. Ele adora a Espanha, Barcelona é a casa dele. Lá, ele era muito mais tranquilo do que no PSG, porque era um jogador de futebol. Era cobrado por isso. No PSG, ele é maior do que o clube", afirmou.

Também presente na bancada do "Seleção SporTV", o ex-jogador de vôlei Nalbert teve opiniões parecidas. "Tenho a impressão de que depois que ele foi para Paris, algo mudou na cabeça dele. Perdeu completamente o foco na carreira! A gente só falava dele pelo talento, mas, daquele momento em diante, parece que houve um turbilhão na vida dele. O que me incomoda um pouquinho é que o PSG fez o investimento gigantesco, e agora ele mostra para todo mundo que não quer ficar ali. Como se o problema de tudo que aconteceu com ele fosse o PSG", disse.

"Às vezes dá a impressão de que o mundo inteiro está contra ele, mas não. Se há um culpado por tudo isto que ele está passando, acho que ele tem de botar a mão no peito, já que é um homem bem grandinho, e dizer: 'O culpado sou eu, porque eu sou responsável por isso e pela minha reviravolta, pela minha volta por cima'. E focar nisso!", completou Nalbert.

Petkovic espera que Neymar assuma a responsabilidade onde estiver. " Se prepara! Se por acaso for ao Barcelona, e tem possibilidade, ele tem de chegar lá preparado e pronto. A entrada dele no time vai mexer muito com expectativa, e ele tem de dar uma resposta. Deve um pedido de desculpa ao clube e à torcida, e a melhor desculpa que a gente pode dar é dentro das quatro linhas. Da boca para fora, todos nós podemos falar. É muito fácil. Mas fazer dentro de campo é difícil. A melhor coisa que o Neymar pode fazer é falar com as perninhas dele, com a velocidade, com toque, drible, gols, passes. É aí que ele é o Neymar", afirmou o sérvio.

Philippe Wojazer/Reuters
Imagem: Philippe Wojazer/Reuters

Leia outras declarações sobre Neymar:

Muricy

"Ele está incomodado com essa situação, e a gente sabe que ele é um bom menino. Esse negócio de que ele foi vaiado, xingado... Com certeza, ele está insatisfeito, não está feliz com isso. Mas para mostrar isso, a única oportunidade é dentro do campo. E ele faz bem isso! Ele faz muito bem. Ele voltou de contusão e fez um golaço pelo PSG. É o terceiro melhor do mundo, tem de voltar a isso. Sempre teve um prazer para jogar bola, e tem de voltar a ser esse cara. Mas, para ser o melhor do mundo, tem que fazer alguns sacrifícios, cara. Ele tem que pensar nisso de novo, voltar a ter alegria e prazer de jogar. Ele com certeza não está satisfeito em Paris e quer sair, mas tem que se preparar para essa volta. E eu vou torcer muito por isso."

"Esse tipo de jogador, como Neymar, gosta de responsabilidade. Me parece que o Paris Saint-Germain é um time frio, sei lá. Sem alma, sem história. É um time estranho. Um campeonato sem graça, o Francês. No Barcelona, ele dava resultado porque era muito cobrado. Esses caras precisam ser cobrados. Parece que ele está jogando sem brilho, parece que o PSG não o cobra muito. Ele estava machucado, e o dono do PSG veio vê-lo. Parecia amizade. No Barcelona, ele via voltar a ser cobrado e vai dar a resposta, porque todos os caras que são cobrados não querem ficar para trás. Barcelona é o lugar certo para ele dar essa volta por cima."

Nalbert

"O clima no PSG ficou meio esquisito para ele. Já passou do ponto de isso acontecer, mas o mais legal seria ele dizer: 'Pô, os caras fizeram esse investimento em mim, e é aqui que eu vou ficar e ganhar, vou ser o líder desse projeto dentro de campo. Vou formar o melhor time do mundo para ser o melhor do mundo'. É o que eu gostaria que ele fizesse, mas agora já passou, infelizmente. Ele cresceria no conceito do mundo inteiro, mas joga essa responsabilidade para o clube. Diz que quer sair como se o problema fosse o clube."

"O jogador não pode ser o carro-chefe dentro da hierarquia de um clube, de um projeto. Talvez tenha faltado um técnico mais forte. (...) A primeira imagem dele no PSG foi uma briga para ver quem ia bater falta, bater pênalti. Eu não sei como é no vestiário de futebol, mas vai deixar dentro do campo os caras decidirem quem vai bater falta?"

Muricy

"Isso não existe. O técnico não chamou a responsabilidade para ele. O batedor de pênaltis é pré-definido, não tem esse negócio. Até a barreira é numerada. Que que é isso? Isso é treinado! Isso está na preleção antes do jogo, não tem isso. Falta de comando!"

Petkovic

"Se você se coloca acima da instituição, não importa o técnico. O técnico vai cair. Não adianta, você tem que ter discernimento que você só é maior do que os outros durante 90 minutos. Fora das quatro linhas, você não é maior do que ninguém. E isso é muito difícil, exige muito autocontrole, maturidade. É fácil se perder, somos humanos, somos falhos."

"Todos nós, muitas vezes, ouvimos a mesma coisa: 'A assessoria não está certa. A assessoria não está boa. A assessoria não o orienta, não está dando apoio e não guia o Neymar'. E aí estavam esperando que ele, criança do Santos, crescesse na vida sem ter um mentor? Sem ter um tutor? Desculpa, mas é difícil. Principalmente com todo o dinheiro. Não tem problema [o estafe] ser paternalista, mas tem que ser competente. Agregar e construir um ser humano."

Mais Esporte