Topo

Demitido por ir a luta na lama foi acusado de agressão por Pamela Anderson

Adil Rami namorava a atriz Pamela Anderson - Arnold Jerocki/Getty Images
Adil Rami namorava a atriz Pamela Anderson Imagem: Arnold Jerocki/Getty Images
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/08/2019 04h00

Na tarde de ontem, o zagueiro Adil Rami foi demitido do Olympique de Marselha porque faltou em um treino para lutar na lama durante participação em reality show. A história do jogador é cheia de polêmicas. Campeão do mundo com a seleção da França na Copa da Rússia de 2018, ele foi acusado de agredir a atriz Pamela Anderson, com quem namorava.

As acusações foram feitas em uma troca de mensagens, divulgada no mês de junho, entre Pamela e uma outra mulher com quem Rami teve relacionamento e é identificada como S. pela atriz. Segundo a imprensa americana, trata-se de Sidonie Biémont, com quem Adil Rami teve dois filhos em 2016.

Nas conversa publicadas pela atriz no site de sua fundação, Pamela relata duas ocasiões em que Rami teria lhe agredido. Na primeira, puxando o seu cabelo durante briga em Los Angeles. Em outra, esmagando sua mão a ponto de ela ter que procurar atendimento em um hospital.

Na época, Rami usou o Instagram para se defender das acusações.

"Eu gostaria de dizer que essas acusações de violência são completamente falsas e não posso deixá-las vivas. Eu me mantive em silêncio porque estava chocado e não podia falar sem que tivesse interpretado cada palavra. Eu fiquei alucinado porque isso tudo é muito horrível, aqueles que me conhecem sabem quem eu sou e quais são os meus princípios, sabem que é impossível que eu seja capaz de fazer algo assim. Se ela queria me machucar, ela escolheu muito bem. Ela sabe que os meus compromissos com a causa da violência contra mulheres são muito importantes para mim", escreveu.

Não foi só desta vez que Rami foi notícia fora de campo. Durante a Copa do Mundo da Rússia no ano passado, o zagueiro causou a evacuação do hotel em que a seleção francesa estava por exagerar na comemoração da vitória sobre a Argentina nas oitavas de final. O defensor estava em seu quarto quando os companheiros de time tentaram entrar, e ele resolveu assustá-los ativando um extintor. Como a fumaça era tóxica, todos foram obrigados a deixar a hospedagem emergencialmente.

E não para por aí. Em 2018, logo após ter conquistado o título da Copa do Mundo com a França, Rami se envolveu em polêmica ao escrever uma mensagem de cunho machista. Na época, o Olympique de Marselha enfrentou o Real Betis em amistoso e fez uma provocação ao rival no Twitter. O jogador não gostou das palavras utilizadas pelo próprio clube e fez uma crítica, mas errou no tom.

"Desculpe, quem escreveu? (Foi) um tweet de gentileza, mas totalmente falso, obrigado. Certamente foi uma mulher que escreveu", publicou Rami, que defendeu o Sevilla, maior rival do Betis, entre 2015 e 2017.

A dispensa do defensor, noticiada pelo jornal francês "L'Equipe" ainda não foi oficializada pelo clube à imprensa. Rami, de 33 anos, já atuou por times como Valencia, Milan e Sevilla.

Mais Esporte