Topo

Felipe Lima, João Gomes e Léo de Deus vão à finais; Guido é 7º nos 100m costa

23/07/2019 12h03

Redação Central, 23 jul (EFE).- Os brasileiros Felipe Lima e João Gomes Júnior, nos 50 metros peito, e Léo de Deus, nos 200 metros borboleta, se garantiram nesta terça-feira nas finais das respectivas provas no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, que está sendo disputado em Gwangju, na Coreia do Sul.

Além disso, o dia teve um representante da natação do Brasil disputando uma final, Guilherme Guido, que terminou na sétima colocação nos 100 metros costa, repetindo resultado obtido há dois anos, na edição realizada em Budapeste, na Hungria.

O paulista nadou para 53s26, três centésimos mais lento do que o resultado obtido ontem, nas semifinais, em que também foi o número 7. A vitória ficou com o chinês Jiayu Ju, com 52s43, a prata com o russo Evgeny Rylov, com 52s67, e o bronze com o australiano Mitchell Larkin, com 52s77.

Nos 50m peito, Felipe Lima e João Gomes Júnior começaram o dia ficando empatados no segundo lugar das preliminares, com 26s73, atrás apenas do recordista mundial da prova, o britânico Adam Peaty, que fez 26s28. Na fase seguinte, o principal favorito voltou a liderar, mas dessa vez com 26s11.

Felipe voltou a ser o vice-líder, ao também melhorar o tempo, para 26s62. João, por sua vez, viu a marca cair para 26s84, o que representou a quinta colocação entre os 16 participantes dessa fase da competição.

Nos 200 metros borboleta, Léo de Deus foi o quarto mais veloz nas preliminares e nas semifinais, nesta segunda fase, em que obteve marca de 1min55s71, 34 centésimos melhor do que a alcançada pela manhã. A primeira posição ficou com o húngaro Kristof Milak, com 1min52s96.

Luiz Altamir, que também participou da competição, passou da fase preliminar, com o tempo de 1min57s08, em 13º, mas acabou sendo 35 centésimos mais lento, repetiu a posição e não conseguir ir à final.

Outro que caiu na água hoje e ficou fora da disputa de medalhas foi Guilherme Costa, que foi eliminado na preliminar dos 800 metros livre, ao nadar em 7min58s67 e ficar na 21ª colocação.

Um dos principais momentos do dia foi a disputa dos 200 metros livre masculino, em que o chinês Sun Yang conquistou a medalha de ouro, ao cravar o tempo 1min44s93. O polêmico nadador, que sofre boicote de adversários por causa de denúncias de doping, não foi o mais rápido.

O lituano Danas Rapsys acabou sendo o primeiro a tocar o bloco de chegada, no entanto, instantes após o término da disputa, foi desqualificado por queimar a saída. Assim, a prata foi para o japonês Katsuhiro Matsumoto, e o bronze para dois atletas, o russo Martin Malyutin e britânico Duncan Scott.

No pódio, Yang não convidou Scott para dividir o lugar mais alto com ele e os demais medalhistas, como é habitual. Além disso, os dois nadadores acabaram discutindo rispidamente. Ontem, o australiano Mack Horton se recusou ao tirar fotos com o chinês, após a prova dos 400 metros livre.

Nos 1.500 metros livre feminino, a italiana Simona Quadarella se aproveitou da desistência da americana Katie Ledecky, que não participou da prova por problemas de saúde, e conquistou o ouro, ao marcar o tempo de 15min40s89. A alemã Sarah Kohler e a chinesa Jianjiahe Wang ficaram com prata e bronze, respectivamente.

Em final de muita rivalidade nos 100 metros peito feminino, a americana Lilly King, recordista mundial, nadou para 1min04s93 e bateu a russa Yuliya Efimova, que fez 1min05s49. O bronze foi para a italiana Martina Carraro. EFE

Mais Esporte