Topo

Após empate, técnico da Venezuela exalta árbitro de vídeo: "Que viva o VAR!"

2019-06-19T01:19:00

19/06/2019 01h19

Salvador, 18 jun (EFE).- O técnico da Venezuela, Rafael Dudamel, valorizou o empate sem gols com o Brasil desta terça-feira em Salvador, pela segunda rodada do grupo A da Copa América, e enalteceu a participação do VAR, que anulou dois gols dos donos da casa por impedimento.

"Que viva o VAR! Bem-vindo, VAR. Contra Peru e Brasil, nós nos vimos, digamos, beneficiados. Mas essa palavra pode dar a entender que ganhamos isso de presente, mas não foi assim", declarou em entrevista coletiva o treinador da 'Vinotinto', que na estreia também empatou em 0 a 0, mas com o Peru, depois que três gols do adversário foram invalidados.

Foi a segunda vez que a Venezuela empatou com a equipe pentacampeã mundial em território brasileiro em competições oficiais, a primeira "para valer". Em 2009, pelas Eliminatórias para a Copa do ano seguinte, houve outro 0 a 0, mas na ocasião o Brasil já havia assegurado vaga na África do Sul.

"Empatar com o Brasil no Brasil tem muita transcendência. Temos que continuar com este passo firme rumo às quartas de final. O mais importante agora é controlar a alegria que este resultado nos dá. É preciso comemorá-lo porque é fruto de um esforço imenso, mas para que ganhe valor é preciso nos classificarmos", ponderou.

A Venezuela é terceira colocada na chave, com dois pontos, atrás de Brasil e Peru, que têm quatro cada. A equipe da casa é líder no saldo de gols, enquanto a Bolívia ainda não pontuou e segura a lanterna.

"Hoje beiramos a perfeição tática. Respondemos muito bem jogando contra um grande adversário. A equipe teve uma boa memória tática para controlar a situação", elogiou Dudamel.

Entretanto, nem só de palavras positivas foi feita a coletiva do treinador venezuelano. Ele criticou o estado do gramado da Fonte Nova e a organização do torneio.

"Quando se fala de Copa América ou de Copa do Mundo no Brasil, o que se imagina é encontrar o melhor de tudo. Assim como é dono do melhor futebol, imagina-se que o Brasil também teria o melhor cenário para o torneio. Não só com estádio, mas a logística quanto a hotéis e outras coisas não corresponde a uma Copa América, principalmente uma Copa América no Brasil", reclamou. EFE

Mais Esporte