Topo

Scaloni faz treino fechado e estuda mudanças no time titular da Argentina

2019-06-17T15:46:00

17/06/2019 15h46

Sebastián Meresman.

Belo Horizonte, 17 jun (EFE).- Para deixar a péssima imagem da derrota para a Colômbia na estreia e conquistar a primeira vitória na Copa América diante do Paraguai, o técnico da Argentina, Lionel Scaloni, tem quatro jogadores nos quais pode apostar: Milton Casco, Rodrigo De Paul, Matías Suárez e Lautaro Martínez.

A 'Albiceleste' fez um treino fechado à imprensa na manhã desta segunda-feira no Estádio Independência, em Belo Horizonte, e poucos sabem o que passa pela mente de Scaloni visando a partida da segunda rodada, que será disputada no Mineirão na próxima quarta-feira.

Um dos problemas que o técnico deve resolver é a marcação frouxa pelo lado direito da defesa. Renzo Saravia não fez um bom jogo e deve ser substiuído por Casco.

No entanto, nem toda a responsabilidade pelos espaços no setor pode ser jogada nas costas do lateral-direito do Porto. Giovani Lo Celso, conhecido pelas características ofensivas, foi escalado no setor e não contribuiu com a marcação como deveria.

A inclusão de Roberto Pereyra no lugar do meia do Betis, mas o jogador do Watford ainda não se recuperou totalmente de uma sobrecarga muscular que sofreu na última quinta-feira.

As notícias que vêm do departamento médico, porém, não são boas. Hoje, Pereyra trabalhou em separado do restante do grupo, segundo nota enviada pela Associação do Futebol Argentino (AFA).

A avaliação é de que a situação do jogador teve "boa evolução", mas não o suficiente para que ele fosse reintegrado aos treinos.

Também foi notória a falta de criatividade no meio-campo, sobretudo nos primeiros 45 minutos da derrota para a Colômbia.

Para solucionar o problema, Scaloni sacou o veterano Ángel Di María do campo, dando lugar a De Paul.

O meia do Udinese foi melhor que o companheiro do Paris Saint-Germain, que ganhou a vaga na última semana de treinos. É provável que De Paul seja titular na quarta-feira.

Outro que disputa a posição é Matías Suárez, que chegou a estar na equipe principal durante a preparação para a Copa América, mas acabou preterido em favor de Di María.

Desta forma, a Argentina jogaria com dois atacantes, Suárez e Agüero, com Lionel Messi movimentando-se livres atrás deles.

A opção menos provável, porém ainda não descartada, é a entrada de Lautaro Martínez no lugar do artilheiro do Manchester City, que passou em branco no jogo contra a Colômbia.

Scaloni tem só uma certeza: Lionel Messi é insubstituível. EFE

Mais Esporte