Topo

Estreia do Brasil na Copa América pode ter metrô totalmente parado em SP

Felipe Rau/Estadão Conteúdo
Imagem: Felipe Rau/Estadão Conteúdo
do UOL

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

2019-06-12T16:23:29

12/06/2019 16h23

Os milhares de torcedores que irão ao Morumbi nesta sexta-feira (14), dia do jogo entre Brasil x Bolívia e da abertura da Copa América, serão afetados pela quase greve geral no transporte público de São Paulo. Metroviários (em suma maioria), funcionários da CPTM e das linhas de ônibus aderiram à greve geral e irão parar na data da estreia da seleção de Tite. Assim, para chegar ao estádio, a preferência deve ser por carros particulares ou compartilhados.

Quem recorrer ao transporte público pode encontrar todo o metrô parado. Em assembleia no início da semana, funcionários das linhas azul, vermelha, verde e prata, além da CPTM, optaram pela paralisação total do serviço no dia da Greve Geral, convocada por centrais sindicais como repúdio à atual proposta do Governo para a reforma da previdência.

A mobilização, entretanto, pode crescer. Segundo Wagner Fajardo Pereira, 62, coordenador geral do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, a classe negocia a adesão de funcionários das linhas 4 e 5, sob concessão privada da ViaQuatro e ViaMobilidade, respectivamente, para aumentar o movimento. A ideia é parar tudo no dia da estreia do Brasil.

"Talvez o metrô ainda tente montar um esquema de contingência, mas nossa expectativa é ter o metrô totalmente parado, conseguir convencer os trabalhadores das linhas amarela e lilás, porque também são trabalhadores metroviários e representados por nós. Estamos tomando providências jurídicas e estamos nos mobilizando", afirmou Fajardo Pereira.

"É um manifesto político dos trabalhadores brasileiros contra essa reforma da previdência do governo, é a motivação única. Decidimos aderir porque os metroviários e os trabalhadores são afetados pela reforma, devemos participar deste protesto. Categoria aprovou em assembleia para participar do dia nacional de luta pela reforma da previdência", acrescentou.

Divulgação/Imply
Morumbi recebe o jogo de abertura da Copa América entre Brasil x Bolívia Imagem: Divulgação/Imply

As linhas azul, vermelha, verde e prata, segundo Wagner Fajardo Pereira, fecham na madrugada de quinta para sexta e retornam às atividades somente às 4h40 de sábado. Assim, toda a sexta-feira, boa parte do complexo metroviário estará fechado para os usuários.

Para chegar ao Morumbi de metrô, a estação final é justamente da linha amarela, até agora fora da paralisação geral. Este trajeto está conectado com as linhas vermelha (República), verde (Consolação) e azul (Luz), além da CPTM. Desta forma, a greve atinge a maior parte dos usuários.

"São 5 milhões que usam o metrô diariamente que serão afetadas. A gente torce para que o mínimo possível de pessoas seja afetado. Quem vai ao jogo de abertura deve ter outros meios para chegar ao estádio", comentou.

A reportagem do UOL Esporte procurou a ViaQuatro, responsável pela administração da estação São Paulo-Morumbi, sobre a paralisação geral do metrô e a possibilidade de greve por parte dos funcionários.

"A ViaQuatro e a ViaMobilidade, concessionárias responsáveis pela operação e manutenção das linhas 4-Amarela e 5-Lilás, respectivamente, informam que suas operações para o dia 14 de junho permanecem inalteradas", assegurou, em nota.

Segundo a concessionária, a operação para a Copa América terá uma estratégia especial com aumento da frota e reforço na equipe de segurança. A ViaQuatro também vai exibir vídeos nas estações com recomendações aos usuários, como a compra antecipada de bilhetes para evitar filas após o término dos jogos.

Governo de SP ignora greve

Enquanto os funcionários do metrô se mobilizam e asseguram a paralisação total, o Governo do Estado de São Paulo, responsável por gerir as linhas dentro da greve, ignora completamente a postura dos metroviários. O Secretário de Transporte Metropolitano, Alexandre Baldy, anunciou a alteração no período do expediente.

"Nesta sexta-feira (14), teremos uma operação diferenciada para que haja reforço de quatro vezes do efetivo de segurança e estaremos ampliando o horário do Metrô e CPTM até 1h da manhã", declarou Baldy. O jogo entre Brasil x Bolívia deve terminar por volta das 23h30.

O governo, sem contar com a mobilização dos funcionários, favoráveis à Greve Geral, recomenda que os torcedores evitem na sexta-feira horário de pico, entre 17h e 19h30.

Mais Esporte