Topo

Fla vira sobre Athletico com gol aos 50 do 2º tempo e dá sobrevida a Abel

do UOL

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

2019-05-26T18:04:12

26/05/2019 18h04

Em um jogo emocionante e com um gol aos 50 minutos do segundo tempo, o Flamengo bateu o Athletico-PR por 3 a 2, no Maracanã. pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Depois de abrir o placar com Gabigol no primeiro tempo e ver Cirino fazer dois, o time do Rio conseguiu balançar a rede duas vezes no fim, com Bruno Henrique e Rodrigo Caio.

Com o resultado, o Flamengo chega a 10 pontos e encosta no pelotão de cima do Campeonato Brasileiro. Já o Furacão, permanece com sete.

Na próxima rodada, a de Abel Braga recebe o Fortaleza no Nilton Santos - o Fla abriu uma exceção e deixou de usar o Maracanã para que o gramado do estádio possa ser preservado visando a Copa América. Já o Athletico-PR terá o Fluminense pela frente, na Arena da Baixada.

CRONOLOGIA DO JOGO

Com o apoio da torcida, o Flamengo começou melhor e criou boas chances, mas o Athletico-PR, mesmo com um time misto, se mostrou agressivo e conseguiu fazer o goleiro Diego Alves trabalhar.

Depois de Gabigol abrir o placar, Cirino marcou duas vezes e o Athletico-PR vencia até os minutos finais, quando Bruno Henrique e Rodrigo Caio, nos acréscimos, garantiram os três pontos para o time da casa.

QUEM FOI BEM - CIRINO

O atacante, que não havia balançado a rede até então na temporada, em dez jogos, acabou fazendo logo dois de uma só vez, ambos no segundo tempo da partida. A curiosidade é que Cirino fez valer a "lei do ex". Ele já defendeu o Flamengo entre 2015 e 2017.

QUEM FOI MAL - MADSON

Apesar de ter sofrido o pênalti que gerou a virada do Athletico, teve um erro infantil no lance em que o Flamengo conseguiu abrir o placar e errou na marcação no lance em que Bruno Henrique empatou a partida.

O JOGO DO FLAMENGO

O Flamengo começou a partida buscando comandar o meio de campo e trocar passes no campo de ataque, mas faltava capricho e errou muitos passes. A partir do meio do primeiro tempo, viu o adversário equilibrar as ações e não conseguiu mais se encontrar em campo, levando pouco perigo ao gol de Santos.

No fim do jogo, à base do 'tudo ou nada', conseguiu balançar a rede duas vezes em cruzamentos para a área e conquistar a vitória.

O JOGO DO ATHLETICO-PR

Depois de começar a partida pressionado, o Furacão conseguiu achar espaços e explorar os erros do Flamengo, que tinha linhas de marcação bem afastadas. No segundo tempo, praticamente comandou as ações, pressionando o sistema defensivo da equipe carioca e conseguiu a virada.

Porém, relaxou nos minutos finais e viu o adversário conseguir uma vitória que parecia improvável.

MUDANÇAS

Tanto Flamengo quanto Athletico-PR tiveram mudanças no time titular nesta partida. Pelo lado do time do Rio, com o zagueiro Léo Duarte e o volante Cuéllar sem condições, Abel optou por Thuler e Piris. Além disso, Diego entrou na vaga de Arrascaeta.

No Furacão, Tiago Nunes utilizou um time misto, uma vez que a equipe está em meio à disputa da final da Recopa Sul-Americana, contra o River Plate, da Argentina. Na quinta-feira, atua no Monumental de Nuñez, após vitória na Arena da Baixada por 1 a 0.

PRIMEIRO TEMPO

A etapa inicial do duelo foi marcada pelas boas defesas de Diego Alves e Santos. Os dois goleiros conseguiram evitar gols adversários em lances difíceis. Para citar exemplos, pelo lado do Fla, Diego Alves pegou uma cabeçada de Erick quase em cima da linha, enquanto Santos afastou o perigo após perigoso chute de Bruno Henrique.

Os comandados de Abel Braga buscavam as ações no meio de campo e conseguiram criar chances, mas apresentavam distância grande entre as linhas de marcação, fazendo com que o Athletico-PR tivesse sucesso nas saídas em contra-ataque.

VAR CHAMOU, MAS DECISÃO FOI MANTIDA

O Flamengo abriu o placar em cobrança de pênalti de Gabigol. O próprio camisa 9 foi quem sofreu a falta na área, ao aproveitar recuo de Madson, avançar sem marcação, tentar driblar Santos e acabar derrubado.

Pouco após o árbitro Daniel Nobre apontar para a marca da cal, foi chamado pelo árbitro de vídeo (VAR) para analisar a jogada. Ele olhou as imagens e manteve a marcação de pênalti.

SEGUNDO TEMPO

O Athletico-PR voltou melhor para o segundo tempo e ganhou espaço, conseguindo ficar mais no campo de ataque que anteriormente. O lado esquerdo da defesa do Flamengo mostrar deficiências e o Furacão, por ali, achou o caminho para empatar o jogo e também virar.

VAR CHAMOU E DECISÃO MUDOU

Diferentemente do que aconteceu no primeiro tempo, Daniel Bins foi chamado ao VAR na etapa final, mas, desta vez, mudou a decisão anterior. Madson recebeu em velocidade e foi derrubado por Bruno Henrique, mas o árbitro havia mandado o jogo seguir. Porém, após analisar as imagens, voltou atrás e marcou o pênalti para o Athletico-PR. Cirino bateu e fez.

EMOÇÃO ATÉ O FIM

Quando a partida caminhava para o final e a vitória do Furacão parecia questão de tempo, o Flamengo foi para o abafa e, desta forma, conquistou um triunfo que fez o Maracanã explodir. Bruno Henrique, aos 44, e Rodrigo Caio, aos 50, ambos de cabeça, garantiram o 3 a 2 a favor da equipe da casa e os três pontos.

PROTESTOS CONTRA ABEL

Logo que Cirino empatou o jogo no Maracanã, a torcida do Flamengo começou fortes protestos contra o técnico Abel Braga, com xingamentos. Depois do gol da virada, as críticas foram para a equipe como um todo, com gritos de "Sem vergonha" e pedidos de disposição. Ao apito final, mesmo com a vitória, ainda pôde-se ouvir torcedores insatisfeitos com o que o time apresentou em campo.

FLAMENGO X ATHLETICO-PR

Data/hora: 26/05/2019, às 16h (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)

Cartões amarelos: Diego, Bruno Henrique, Pará, Rodtigo (FLA); Santos, Marcio Azevedo e Wellington (ATP)
Público / renda: 49.124 público pagante / R$ 1.571.771,50
Gols: Gabigol, aos 31 minutos do primeiro tempo (FLA), Crino, aos 18 do segundo tempo (ATP), Cirino aos 25 do segundo tempo (ATP), Bruno Henrique aos 44 do segundo tempo (FLA) e Rodrigo Caio aos 50 do segundo tempo (FLA)

Flamengo
Diego Alves; Pará (Rodinei), Rodrigo Caio, Thuler e Renê; Piris (Vitinho), Willian Arão e Diego; Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol (Lincoln)
Técnico: Abel Braga

Athletico-PR
Santos; Madson, Lucas Halter, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Erick e Matheus Rossetto (Bruno Guimarães
); Braian Romero (Paulo André), Marcelo Cirino e Thonny Anderson (Tomás Andrade)
Técnico: Tiago Nunes

Mais Esporte