Topo

Bate-Estaca diz que "apanhar" no início da luta do título era esperado

Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images
Jéssica "Bate-Estaca" Andrade celebra ao lado de Gilliard "Paraná" após conquistar título do UFC Imagem: Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images

Ag. Fight

2019-05-24T20:18:08

24/05/2019 20h18

Jéssica 'Bate-Estaca' fez história ao superar Rose Namajunas no dia 11 de maio e se sagrar a primeira brasileira a ser campeã peso-palha (52 kg) do Ultimate. No entanto, conquistar tal façanha no UFC 237 não foi nada fácil. Durante o primeiro assalto contra 'Thug', a brasileira levou a pior na trocação e claramente perdeu o round. Mas, de acordo com a nova detentora do título, isso já era esperado.

Em entrevista ao site 'MMA Fighting', a paranaense afirmou que tudo fazia parte de uma estratégia, que pregava primeiramente 'sentir' as qualidades de Rose e depois ajustar seu jogo em relação ao que a americana tivesse apresentado no início do combate. Mais rápida no primeiro round e com eficiência nos golpes em linha reta, Namajunas viu seu desempenho despencar no assalto seguinte após Jéssica aplicar diversos chutes em suas pernas, fazendo com que a então campeã perdesse mobilidade.

"Eu sabia que o primeiro round iria ser daquele jeito. Eu sabia que eu ia apanhar, que ela iria me acertar e me cortar, que eu ia sangrar. Eu sabia que o primeiro round ia ser muito difícil, mas seria meu momento de estudá-la e de saber o que fazer no segundo round", admitiu a brasileira, antes de comentar que esse enredo também fazia parte do plano de jogo do comandante da equipe PRVT, Gilliard Paraná.

"Meu mestre me falou no vestiário: 'Se ela tentar ir para um armlock ou uma guilhotina, dá um bate-estaca nela. Não dê as costas para ela'. Treinamos isso no vestiário. Ele me disse para não me preocupar com perder o primeiro round. Era para ser assim, de forma que pudéssemos ver o que teríamos de fazer nos rounds seguintes", completou a nova campeã peso-palha do UFC.

Jéssica agora se recupera de sua luta deste mês já de olho nas possíveis futuras desafiantes ao cinturão. Nomes como Nina Ansaroff, Tatiana Suarez e Joanna Jedrzejczyk são os mais cotados. Outra possibilidade é, claro, a própria Namajunas, caso continue em atividade no esporte - já que, após o revés no Rio, a americana deixou seu futuro no MMA em aberto.

Mais Esporte